Páginas

Enquanto o sangue não esfria...





Vão todos tomar nos seus respectivos cus. Ninguém presta. Mandem todos embora. Queimem todos na fogueira das vaidades. Dêem toddynhos a eles. Façam qualquer coisa só não dêem motivos para perder das meninas do Jardim Leonor.




Ninguém merece passar por isso mais uma vez!






Ps.: Como toda briga entre àqueles que se amam, todos nós voltaremos ao normal assim que colocarmos os infinitos prós que nos fazem amar dia-a-dia mais e mais a Sociedade Esportiva Palmeiras. Mas até lá, vai dormir no sofá!

Além das fronteiras






Como diz minha mãe: tou até sem chão!


E não é que este singelo blog foi tirar o sono do palmeirense (juro que não teve nenhuma indireta aqui sobre sua intensidade de torcedor com o glorioso Palestra) Mauro Beting. E fiz o favor de mostrar pra todo mundo o quanto tinha ido longe, melhor que isso só ver meu blog no site oficial do zagueiro Gustavo depois de uma entrevista aqui. Só espero que o Mauro Beting que comentou seja p original, senão recomendo aqui uma vigilância aos seus "fakes" na grande rede. Ajudou até a esquecer da perda da mamata que rolou essa semana com a 54M5UN6 e os blogs da mídia palmeirense. Maldita falta de tempo, vontade e parceiros sérios (nota: mesmo muitos não acreditando que alguns de nós existam)

Querido Mauro, (meio bambi, mas que se foda é pra entrar no clima do clássico de sábado) eu juro que as coisas que escrevi no post anterior e em demais não foram pessoais a sua ou qualquer outra pessoa. Claro que se em algum momento eu falar eu direi que foi pessoal! (ou deveria)

Sendo assim, eu um humilde humano com polegar opositor (favor lembrar aqui do excelente A Ilha das Flores), apenas escrevi em forma de desabafo neste último blog algumas coisas que remoía do passado na nossa relação de escritor e leitor quando se trata(va) da nossa paixão em comum (sic): o Palmeiras!

Eu juro que não te conheço, mas me instigou a te encontrar e rirmos desse episódio em particular. Prometo que sou um cara legal, estudo na Unicamp, me formei em 2008 em Licencitura de Geografia, termino esse ano o Bacharel (se as notas deixarem), gosto muito de cinema, aliás tive nos últimos anos grandes experiências cinematográfica que, se for o caso pode servir de assunto em um desses encontros ou conversa no msn (te dei aqui outra alternativa que não a presença cara-a-cara). Já digo que nada disso garanta que qualquer um possa ser um cara legal se seguir ao pé da letra, mas é só para exemplificar o quanto sou normal. (eu acho)

Não me odeie, aliás deixe esse papel pra mim. Tenho a mesma liberdade para aplaudir depois de um dos seus belíssimos textos e de te odiar para o resto da sua vida pelos seus textos anti-Palmeiras (juro que penso em "n" motivos que possa explicar isso, mas só você poderá me explicar).

Como disse anteriormente nada contra a sua pessoa, meu filho. Juro que não... mas juro que escrevi para as moscas o texto, na esperança vazia de que alguma alma lêsse e pudesse garantir um comentário ou quem sabe dois nele . E não é que a bagaça (sabe quando você fica com a palavra e só fala ela durante algum tempo!? Isso se aplica à "bagaça") foi longe. Mas prometo a partir de hoje ser mais comedido, uma vez que meu público alvo está ficando, como que eu vou dizer... chique! (Só espero que você tenha tido a bondade de ter ido no seu navegador e digitado www.carcamanos.blogspot.com ou no máximo ter clicado para abrir em outra aba do seu Firefox - imagino que você use contra o monopólio windows - o link que estava em outro blog, pois se só o abriu o meu mísero espaçinho virtual porque apareceu para o senhor que seu texto foi "linkado" minha alegria manifestada logo no começo do texto será esquecida igualmente quando se deleta um arquivo inútil do computador - ou laptop se preferir hehehehe)

Para ir encerrando, recomendo, se você já não o leu, essa maravilhosa resposta do Odir Cunha a um dos poucos que resta(vam) da mídia esportiva. Eu juro de pés juntos que você ainda faz parte desse seleto (não sei se é muito louvável, mas enfim...) grupo de profissionais (sic) jornalistas.



26/03/2009 - 02:38 - Enviado por: Odir Cunha


Alberto Helena Jr. amigo dos velhos e bons tempos do Jornal da Tarde. Como você citou minha entrevista com o Zaidan, permito-me o direito de resposta.

Percebo que quem quer confundir são os opositores à Unificação dos Títulos.

Você diz que eu simplifiquei ao dizer que há muito jornalista que veste a camisa do clube por baixo, e há mesmo. Não se esqueça de que eu sei para que time torcem todos os nossos colegas, você inclusive, e sei o quanto essa paixão influi nos julgamentos.

Eu declaro minha paixão, mas declaro também meus argumentos - que eles sejam discutidos.

Impressiono-me com pessoas que analisam sem procurar se aprofundar na questão. Não vi nenhum dos maiores críticos lá no Palmeiras, quando o Dossiê foi apresentado. Não sabem, não querem saber e têm raiva de quem sabe. Desculpe, mas para mim não são profissionais. São “achadores”. Nem sabem o que descobri de novo e revelador sobre a Taça Brasil e o Robertão. Confiam em suas velhas memórias e seguem o que seus corações mandam. Mas usam pouco o cérebro e muito menos a ética.

Vou repetir, então, mais uma vez:

A Taça Brasil foi criada para ser o Campeonato Nacional de Clubes, em substituição do Campeonato Brasileiro de Seleções. Quem falou e fala isso é simplesmente João Havelante, o presidente da CBD à época, o homem que criou a Taça Brasil, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa e o Campeonato Nacional (que só teve o nome de Campeonato Brasileiro em 1989).

A CBF só foi fundada em setembro de 1979.

Isso de ter dois campeões no mesmo ano, o Campeonato Paulista os teve por 11 anos. Portanto, há o chamado antecedente, o que em Direito é muito importante. Qual o problema de ter dois campeões no mesmo ano? O Flamengo não foi campeão carioca duas vezes no mesmo ano? O Corinthians e o Boca Juniors não foram campeões mundiais no mesmo ano?

Com todo o respeito, Alberto Helena, seus argumentos soam como desculpas de quem quer ser contra, mas não sabe como.

Se você respeita a história do futebol brasileiro como diz, então deveria ser o primeiro a apoiar a Unificação dos títulos brasileiros.

Esse campeonato que você e outros defendem, que começou em 1971, foi inchado pelo GOverno Militar para satisfazer os interesses da Arena (”Onde a Arena vai mal, mais um time no nacional”, lembra?), chegou a ter 100 participantes, mudava de regra a cada ano, e de nome também. Você sabe que o Campeonato Nacional se chamou Taça de Ouro e Copa Brasil por mais de 10 anos? Se é uma questão de nome, o “Brasileiro” só pode valer a partir de 1989. Antes teve outras denominações.

Admito e até gosto de críticas, mas de quem também tirou a bunda da cadeira e foi atrás dos fatos. Quem boquirrota informações falsas e opiniões sem sentido, apostando na eterna ignorância do nosso povo, não posso respeitar.

Prefiro um foca que se renda ao peso da informação, do que um veterano que se julga mais importante do que a notícia, que acredita que a versão dos fatos e mais importante do que os próprios acontecimentos.
Conheça primeiro o Dossiê, leia e analise com calma tudoo que está lá, lembre-se dos anos 60, os anos de ouro do nosso futebol e depois tenha a coragem de dizer que Pelé, Tostão, Gérson, Ademir da Guia não foram campeões brasileiros. pelé foi campeão sul-americano, do mundo e não foi brasileiro?

Sim, ganhou a Taça Brasil, o Robertão, que davam ao vencedor o título de campeão brasileiro.

Não importa se é D. Pedro, Lula, Obama, Fidel Castro, o que importa é que todos são líderes, chefes de Estado. O que se quer unificar não são os nomes, mas os títulos. Qualquer criança entende isso, mas alguns senhores da crônica teimam em não entender.
Se precisar de mais detalhes sobre estas competições, pode pedir. Não gosto de ver um amigo se desgastando com seus leitores por insistir em desculpas esfarrapadas que não correspondem à verdade.




Não sei por porquê eu não respondi o seu comentário só com esse texto, deve ser porque ainda deva restar um pouco de respeito e confiança ao Mauro Beting, como que eu posso chamar... torcedor!

Não do Palmeiras! Mas um excelente torcedor do futebol. Assim como eu! Olha só como nós, não somos tão diferentes. Só o que nos separa nesse momento é quem está escrevendo e quem está lendo. E dessa vez você foi o corneta dos leitores.

Que belo avanço!

3574M05 CL4551F1C4D0






Graças ao atacante P4R46U410 0R716024 e a estupenda partida do D1360 50U24, o P4LM31R45 está classificado para a semi finais do P4UL15T40 e enfrenta os B4MBi5 sábado (domingo tem jogo da 53L3N1K3). Keirrison que estava sendo visualizado por um dirigente do Barcelona deve ter sentido a pressão de mandar bem para o gringo e jogou a pior partida dele com a camisa do Verdão!

J3C1 que já não caiu nas graças da torcida ainda fode qualquer esperanças de algum futuro com um belo gol contra. Caso ele jogue domingo (que espero que não aconteça), pelo menos que se redima e faça 3 gols de cabeça nas meninas do Jardim Leonor. Aí ele ganhará milhas para o resto do ano. Go J3c1, Go!

O jogo foi difícil, aliás como o Guaratinguetá, Bragantino, Ituano, Noroeste e os times de Campinas adoram dar trabalho pra gente, viu! É incrível, quando têm que ganhar dos rivais não ganham, quando têm que perder não perdem. Esses times adoram fazer história contra a gente. Chega! E o último deles cairá dia 8.

Voltando ao jogo, aliás ao épico do 0R716024, o mano entrou ainda no primeiro tempo no lugar do J3C1, que deu muita dó da imensa vaia que recebeu. O gringo que lembra e muito o futebol voluntarioso do Kléber Gladiador. E pode entrar sábado no clássico, já que o senhor juiz fez o favor de tirar o D1360 50U24 da partida com uma expulsão mandraque que foi justificado na súmula assim:


1º Cartão amarelo:
Descrição: Calçar adversario


2º Cartão amarelo e expulsão:
Descrição: Aos 65 minutos de jogo,expulsei o senhor Diego de Souza Andrade, por agarrar pela camisa o seu adversário de numero 08 senhor Cesar Augusto Mainardi da Silva, durante disputa de bola. O expulso havia sido anteriormente advertido com o cartão amarelo e após a expulsão dirigiu-se a mim e proferiu as seguintes palavras: Puta que o pariu, caralho, voce me tirou do proximo jogo porra, voce esta de sacanagem. Após o fato retirou-se de campo.
Começou a guerra para o clássico.




0C74C4MP340 BR451L31R0


Palmeiras mais Santos, Cruzeiro, Fluminense, Bahia e Botafogo tentam junto com a CBF e FIFA a reivindicação dos título da Taça Brasil e do torneio Roberto Gomes Pedrosa, realizados entre 1959 e 1970, como títulos nacionais, passando a ter junto com o Santos 8 títulos nacionais.

Acho louvável que se busque de qualquer forma a valorização desses títulos nacionais, afinal o futebol não começou em 1971. Pra quem chora, foda-se! Cada um com seus problemas!

Mas vai aqui meu recado aos dois sujeitos intitulam intelectuais, palmeirenses ou qualquer coisa que tentem livrar esses sujeitos das críticas. Seus textos já não satisfazem como outrora, será que o público caiu na real e percebeu o quanto esse PVC é Mauro Beting quando querem são inúteis. Eles são bons com números? Foda-se, se eu quiser vejo os dados/números no meu micro.


Dados de cú é rola.


Olha só o que esses sujeitos disseram sobre a reivindicação dos títulos nacionais. Preparem o estômago!


Mauro Beting


[...] Mas embora entendendo que não houvesse outro torneio de caráter nacional até 1967; embora a Taça Brasil concedesse vaga para a Libertadores da América (disputada a partir de 1960), ainda não considero Taça Brasil e Robertão o mesmo tipo de torneio. O que não desmerece todos os campeões a partir de 1959. Nem tira o significado histórico e esportivo de cada conquista.

(Pode me chamar de filho daquilo. Só não xingue meu pai, que só não apresentou o evento dos clubes pleiteantes no Palestra Itália por compromissos profissionais previamente assumidos: diferentemente do filho que vos escreve, Joelmir Beting entende que todos os campeões da Taça Brasil e Robertão também são “campeões brasileiros”, como pretendem Santos, Palmeiras, Cruzeiro, Fluminense, Botafogo e Bahia).

Parece que seu pai é mais esperto que você, meu caro!


PVC

[...] Bahia, Santos, Palmeiras, Cruzeiro, Botafogo e Fluminense ganharam títulos extremamente relevantes entre 1959 e 1970. Ganharam a Taça Brasil, irmã mais velha da Copa do Brasil, e o Robertão, irmão mais velho do Brasileiro. Mas não se deve incluir esses títulos na galeria dos campeões brasileiros.
Quem conhece a história, sabe a importância de cada um deles.
Para quem desconhece, equiparar ou não não faz a menor diferença


Acessem o texto completo dessas toupeiras aqui e aqui
Para acessar o dossiê completo clique aqui nesse link do Parmerista Conrado.



Só lamento que esses dois "célebres" são os maiores representantes palmeirense na imprensinha.


Quem têm eles não precisa de inimigo!


Obs.: Este post e nem o blog têm o patrocínio da 54M5UN6.

"Se eu fosse torcer pela tv torceria para o Manchester, então!"






Essas, meus amigos, foi a frase deferida por um bugrino amigo meu, quando indagado por um palmeirense (vejam só) se ele não sofria demais vendo o time na situação que está. Depois do meu amigo perguntar quantas vezes esse cidadão tinha ido no estádio (sendo que ele próprio por convite meu já veio umas 10 vezes aqui em São Paulo e eu vice-versa no Brinco). Aí pra calar a boca do pseudo torcedor ele soltou essa pérola que você pode responder daqui pra frente quando ousarem te repreender quando você vai em todos os jogos do seu time, mesmo quando ele está mal, deopis de uma sacolada ou num dia frio/chuvoso.


Torcedor não é simpatizante!


Esse meu amigo bugrino é fanático pelo time dele, assim ou mais do que eu e muitos que conheço por aí. O cara não perde nada. Já fui ver com ele um jogo do Guarani pela Copa Federação Paulista em plena tarde, meio de semana, valendo vaga na série-C (quando esta o dava).

Frequento o Brinco sempre que dá, mais pelo apoio do que ser fanático pelo Guarani, coisa que não sou. Mas, se você um dia quiser ter aulas de como torcer para um time recomendo 1 hora de ala de fanatismo com ele.

Que sirva de lição, aos pseudos torcedores de plantão espalhado por aí. A sensação de ver seu time em campo, no cimento frio de um estádio (seja ele o seu ou não) é inigualável, mesmo quando deparamos com o conforto do sofá ou as piores divisões que nos espera.

Torcer é uma arte para poucos, mas que a lição é de fácil, fácil aprendizado. Você só tem que ir ao estádio mais próximo da sua casa.




Para alimentar sua fome por futebol e arte de torcer recomendo esse texto, esse e esse estatuto do verdadeiro torcedor!


Conclusões, recomendações, devaneios e mantras de um torcedor de arquibancada

1. Futebol não é festa.
2. Futebol não é divertimento.
3. Futebol não é um bom lugar para passeio.
4. Futebol não é um ambiente saudável, ao contrário, é doentio.
5. Evite levar criança ao estádio, a menos que esta seja mais madura que você (no meu caso não é difícil).
6. Evite levar mulher ao estádio, a menos que ela seja mais homem que você.
7. Evite levar qualquer pessoa ao estádio que não esteja focada na vitória do seu time.
8. Não use uma partida de futebol para networking profissional e/ou social. O ideal é que, ao te verem no estádio, todos se envergonhem de você.
9. Acredite em você, nas suas impressões e opiniões sobre seu time.
10. Despreze completamente a opinião da imprensa esportiva.
11. Se você acha que seu time vai ganhar, talvez ele ganhe.
12. Se você acha que seu time vai perder, ele vai perder. Vá ao jogo assim mesmo.
13. Não deixe que o trabalho atrapalhe o futebol.
14. Não deixe que nenhum programa ou compromisso atrapalhe o futebol.
15. Não deixe que um romance atrapalhe o futebol.
16. Não deixe que nada atrapalhe o futebol.
17. Acima do futebol, só a saúde. Ela que te permite viver para o futebol.
18. Seu melhor amigo é o seu time.
19. Despreze quem não gosta de futebol.
20. Ignore quem não gosta de você pelo fato de você gostar de futebol.
21. Fique onde você quiser no estádio, ignore os lugares numerados.
22. Nunca assista ao jogo ao lado de um torcedor adversário.
23. Odeie seu adversário no dia do jogo.
24. Identifique seu inimigo e odeie-o todos os dias da sua vida.
25. Debata com torcedores adversários verdadeiros, menospreze os farsantes.
26. Se um dia você for a um estádio sem alambrado, fosso ou qualquer divisão para o campo, sinta vergonha. O Brasil não é a Inglaterra.
27. Não relaxe durante o jogo.
28. Evite sorrir durante o jogo.
29. Não xingue os jogadores do seu time durante o jogo. Alguns merecem, mas não vai adiantar.
30. Xingue a arbitragem em todos os jogos, isso te fará bem.
31. Não se esforce por ingressos para torcedores ocasionais e oportunistas. Cuide do seu e dos legítimos habitantes daquele espaço sagrado.
32. Refute ser tratado como consumidor, você é apenas torcedor. Por sinal, você é muito mais que consumidor.
33. Cuide da sua própria segurança, nunca espere nada da PM.
34. Proteja-se da PM.
35. Volte do estádio sempre com a sensação do dever cumprido.

Esperança Verde





O Palestra continua sua cina de jogos dia sim outro também. Depois de passado todo o rebuliço contra os gambás, criou-se um climinha de que o time não ganhava a três jogos, que o Keirrison não decidia, que o Luxa errou, que o time era pipoqueiro. Pra todos esses que se enquadram aí só digo uma coisa:


Vão todos tomar no cu!



Duas derrotas no ano, tudo bem que foram na Libertadores e que complicaram nossa vida lá, mas vocês realmente acham que isso é motivo para execrar um time tão novo e verde (nos dois sentidos hehe) do jeito que foi em alguns fóruns e sites.

Já cansei de dizer para pararem de dar trela a essa raça de vagabundos, filhas das putas e aproveitadores que se alto intitulam jornalistas. Parem de se estressarem por pouca coisa, do tipo: Neto, Renata, Flávio Prado...

Não dêem bola para essa raça. Mude você seu conhecimento sobre os problemas e qualidades do time. De resto faça que nem todos nós da mídia palmeirense faz:

Ignorem!



O jogo

Já foi dito muita coisa e não quero retomar o assunto, mas como joga esse time do Palmeiras. Olha, se cuidarem bem dele teremos alegrias, neste e nos próximos anos. Cuidem bem dele diretoria e torcedores.

Para terminar bem essa mini-bronca, segue uma maravilhosa notícia científica. O Palmeirense Miguel Nicolelis deu um grande avanço na busca pela cura de umas das doenças mais graves: o mal de Parkinson.

Logo abaixo segue todo o texto e o links do site desse grande palmeirense, que foi cotado anos atrás a ganhar um Nobel. Acho que dessa vez a bagaça vem para as terra Tupiniquins.


Parabéns!


20/03/2009 - 09h58
Brasileiro cura mal de Parkinson em roedores usando estímulo elétrico
Publicidade

RAFAEL GARCIA
da Folha de S.Paulo

Uma técnica para tratar os sintomas do mal de Parkinson com suaves impulsos elétricos na medula espinhal teve sucesso num experimento com camundongos e poderá ser testada em humanos já em 2010.

O método, descrito hoje em estudo no periódico "Science", foi ideia do neurocientista paulista Miguel Nicolelis, da Universidade Duke, da Carolina do Norte (EUA). É a segunda vez na história que o trabalho de um brasileiro é destaque de capa da publicação centenária.
AAAS
Capa da revista exibemapa cerebral de roedor doente
Capa da revista "Science" traz mapa cerebral de roedor doente

A técnica, idealizada por Nicolelis e desenvolvida pelo chileno Romulo Fuentes, consiste em conectar um pequeno eletrodo --uma lâmina de metal-- na coluna dos animais e ligá-lo a uma bateria que dispara impulsos elétricos com uma frequência controlada.

Nos roedores, a estratégia conseguiu reverter os sintomas de Parkinson, doença degenerativa que afeta a habilidade motora das pessoas e causa tremores.

Como a aplicação de eletrodos na medula já se provou segura para tratamento de dor crônica em humanos, o uso da técnica contra Parkinson pode sair da fase experimental para a clínica mais rápido. E, a partir de agora, as pesquisas provavelmente serão feitas no Brasil.

A primeira instituição a dar continuidade à técnica será o Instituto Internacional de Neurociências de Natal, que Nicolelis ajudou a fundar e acaba de contratar Fuentes.

"Nossa perspectiva é fazer o teste em quatro a seis macacos neste ano e, se os resultados forem iguais aos de camundongos, já partir para os primeiros estudos clínicos [em humanos]", disse Nicolelis à Folha.

"O equipamento que será usado futuramente é totalmente implantável. Esses estimuladores têm sido usados há anos na tentativa de tratar dores crônicas, e a tecnologia já está desenvolvida. É só questão de usar a frequência correta, a corrente correta e o padrão de estimulação para Parkinson."

A nova técnica tem o potencial de substituir a chamada estimulação cerebral profunda, procedimento que hoje costuma ser o último recurso para pacientes em estágio avançado da doença. A técnica é um procedimento muito invasivo.

"Você tem de entrar dez centímetros no cérebro e existe 5% de risco de sangramento que pode ser fatal", explica Nicolelis. "Além disso, só 25% a 30% dos pacientes que estão em estado avançado conseguem suportar essa cirurgia". O novo mecanismo é de aplicação mais simples do que um marca-passo cardíaco, diz o cientista.

Conexão epilepsia

Segundo o cientista brasileiro, a ideia de usar essa técnica veio de estudos que ele mesmo realizara sobre epilepsia.

"Há dois anos, nós começamos a registrar a atividade do cérebro de animais parkinsonianos, e eu percebi que ela era virtualmente idêntica à das crises epilépticas que nós tínhamos estudado dez anos atrás", conta.

Encontrando um ponto correto para aplicar os impulsos elétricos na coluna dos animais, o grupo de pesquisadores conseguiu amenizar os sintomas da doença, assim como havia feito com a epilepsia.

Os pesquisadores explicam que, apesar de as duas doenças não terem uma origem comum, parte dos circuitos nervosos que elas afetam é o mesmo, por isso há uma afinidade entre os mecanismos delas.

Nicolelis explica que por trás do mal de Parkinson há um fenômeno em que os neurônios do sistema motor entram todos em sincronia, disparando ao mesmo tempo.

"Todos os músculos tentam se contrair ao mesmo tempo, e o resultado final disso é que você não consegue fazer nada."

Dose reduzida

Outra vantagem do novo tratamento, diz Nicolelis, é que ele permite prolongar a eficácia da L-dopa, a droga usada para barrar os sintomas da doença nos estágios iniciais. O grande problema da L-dopa é que ela perde a eficácia à medida que o paciente a ingere.

Mas, quando foi usada em conjunto com a estimulação elétrica da medula, melhorou ainda mais o estado dos roedores, mesmo com a dose da droga reduzida em 80%.

O que a L-dopa faz é recuperar o nível cerebral de dopamina, molécula transmissora de impulsos nervosos que nos parkinsonianos é escassa, diz Nicolelis, entusiasmado com a aceitação da pesquisa. "A capa da "Science" é o pináculo de qualquer publicação que um cientista pode ter."

Fonte: Folha


Site do Nicolelis: http://www.nicolelislab.net

Irritando a torcida





Antes de começar a falar do jogo de ontem, gostaria de desejar que a família do David tenha muita força nesse episódio triste que aconteceu com o seu avô.

Força David

__________________________________________________________________________


O jogo

No primeiro momento foi difícil engolir o time reserva ontem em Itu, ainda mais depois do empate doído contra a gambazada. Mas não é que o tio Luxa estava certo em polpar o time para os dois jogos seguidos em casa. Só espero que o planejamento dê certo dessa vez.

Pois em Itu só não perdemos porque a síndrome do Kléber Pereira assolou o time da casa. Se eu não me engano foram 4 ou 5 bolas na trave que impediram o Verdão de sair derrotado.

Até que o resultado não foi o dos piores, em se tratando do time que jogou e a tabela. Doído mesmo, foi aturar a tv aberta dar a bunda para o pegador de travecos durante a semana. Ainda iria além, durante o primeiro momento que anunciaram no timinho da Marginal sem Número.

O que fizeram ontem foi imperdoável, é de se pensar se vale a pena passar por tudo isso de volta, e como a resposta é óbvia, deixarei de ver o jogo na tv aberta, vou apelar pra tv a cabo e ao bom e velho José Silvério.

Chega de aturar isso, nem eu nem a torcida palmeirense temos que aturar isso. Não somos idiotas!


Espero que a torcida palmeirense caia na real!


Voltando ao jogo de ontem, alguns jogadores não tem mais condições psicológicas de atuarem pelo Palmeiras, seja pelo talento (ou falta de), seja pela pressão da torcida.

Chega de amadorismo, ou polpem essas pobres almas da torcida ou dêem a eles o mesmo fim de Adriano Chuva, Luis, Valmir e cia.

Próximos jogos é vencer ou vencer. E como disse meu amigo Rapha do Cruz de Savóia o senhor Luxa será cobrado, na hora certa, mas vai!

Parem de chorar as pitangas!






Que porra é essa que está acontecendo na torcida do Palmeiras!? Vocês estavam tão viciados em jogar bonito que esqueceram que futebol não é exato. Um excelente time + craques + ataque de muitos gols é diferente de vitória certa. Se quer garantir vitória sempre que um time é melhor que outro vão procurar outro esporte. Futebol não é exato. E tenho dito!

O que fica de uma partida é um aprendizado, e meus caros, se não aprenderem com o erro do passado que amargure o desprezo dos derrotados.

Querem um exemplo dos "n" fatores do futebol? O Chelsea reaprendeu em pouco tempo a jogar futebol? Fuderam o Felipão, isso sim!

Portanto, desde, um dia ruim até jogadores queimando o técnico são fatores que determinam uma partida.

Eu sofri com meu time nas épocas de vacas magras, mas nem por isso sou mais palmeirense que vocês cornetas. Mas se teve uma coisa que aprendi na dificuldade foi apoiar, analisar e criticar meu time em busca de respostas em pró de todos.

Chega de pedir cabeças. Não se esqueçam da volta por cima do Lenny. Por incrível que pareça vou usá-lo de exemplo. Apoio, determinação e garra faz qualquer um ir longe. Lembrem-se disso!


SANTO ANDRÉ 0 x 1 PALMEIRAS

Local: Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data: 21 de janeiro de 2009 (quarta-feira)
Horário: 16h30 (de Brasília)
Renda: não divulgado
Público: não divulgado
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Newton dos Reis Barreira
Cartões amarelos: Jumar, Sandro Silva e Pierre (Palmeiras); Elvis (Santo André)
Gols:
PALMEIRAS: Cleiton Xavier, aos 42 minutos do primeiro tempo.

SANTO ANDRÉ: Neneca; Alexandre (Cicinho), Marcel, Cesinha e Arthur; Fernando, Juninho, Marcelinho e Elvis (Chiquinho); Alexandro (Osny) e Jonathan
Técnico: Sérgio Guedes.

PALMEIRAS: Bruno; Danilo, Jéci e Maurício Ramos; Fabinho Capixaba, Pierre, Sandro Silva (Jumar), Cleiton Xavier e Jefferson; Lenny (Willians) e Diego Souza (Daniel).
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Um dia antes disso não éramos nada! Éramos candidato ao rebaixamento. Agora vejam onde estamos.

Cresçam! Ponham na cabeça que vocês são importantes ao time... Sempre!

Se esse time não sabe jogar Libertadores que ensinem. Se levou um gol do gordo aos 47. Que fiquemos putos. Mas, que ao menor sinal de racionalidade novamente se ponham os pingos nos "is" e busquemos todos uma solução.

Esqueceram que jogamos um dos maiores clássicos do mundo. E clássico meu filho está sujeito a qualquer coisa. Palmeiras e Corinthians é raça, emoção e vibração! Não tem favorito. Mas, prefiro, depois de passado o tormento, colher os bons frutos do jogo. Quais? A zaga se comportou bem, Diego Souza parece está reencontrando seu futebol, o time passou a demonstrar uma capacidade de segurar o jogo quando está ganhando e, acima de tudo, mais um jogo que os fregueses não ganham de nós.



Acorda torcida Palmeirense. Às vezes, vocês não merecem o time que tem!

Dificuldade





Na última semana, véspera de feriado, aconteceu um fato que acabou de vez com meu carnaval. Isso porque tinha comprado um pacote de 4 dias para Ilha do Mel - PR, e esperava que nada ou quase nada atrapalhasse meu feriado.

Porém, no último sábado, meu avô foi vítima de um assalto na roça onde ele mora, lá na Bahia, e levou uma surra de quatro bandidos que roubaram 200 reais, galinhas e qualquer coisa relacionada a uma roça.

Não venho aqui discutir o roubo em si, pois essa prática é tão antiga quanto a sociedade. O que mais me deixou abatido foi que bateram tanto no meu avô que ele ficou internado em estado grave, com várias hemorragias, uma costela fraturada e o olho, que ele tinha acabado de operar de catarata, totalmente inchado.

Ele se rebaixou ao implorar pela vida. Isso porque 4 senhores ao invés de roubar o que tinha que roubar, bateram nele com pedaços de pau para avisar a um senhor de quase 90 anos que não era pra chamar a polícia.

Minha mãe e uns tios meus foram pra lá às pressas, e passou uma semana com ele. Agora ele se encontra em casa, bem de saúde, curando dos machucados. Lamento apenas as piores dores que uma pessoa que passa por isso possa sofrer: a psicológica. Meu avô está assustado, pelos cantos sem falar com ninguém. Está tramautizado.

Rezo a cada dia pela recuperação total dele. Um senhor íntegro, trabalhador e acima de tudo honesto.

Força vô, vamos passar por cima disso.

Às pessoas que fizeram isso, nenhum adjetivo tem a capacidade de expressar suas atitudes.



A vocês a indiferença e o desprezo total daqueles que são do bem!


-----------------------------------------


Caros colaboradores, pedi a vocês que não postassem nada esses dias em sinal de respeito e ao caminho que esse blog poderia seguir. Já desistir da idéia e acabar com o blog.

Não é por causa desse incidente que irei por fim minha paixão palmeirense.

Carcamanos vive!


-----------------------------------------



Sobre o vexame da última terça-feira, não tenho nada a acrescentar a não ser o meu apoio incondicional na luta pela vaga pra próxima fase. E faço isso trazendo um belo texto que foi extraído da Comunidade do Palmeiras no Orkut.


Covardes são como ratos


Ao menor sinal de água no barco, os ratos são os primeiros a abandonarem a embarcação.

Mas nem sempre essa é a melhor atitude...

Muitas vezes o barco se estabiliza e segue viagem tranquilo e sereno rumo ao seu objetivo, mas os ratos que pularam do barco antes, permanecem a deriva tendo como destino a solidão.

A PALMEIRAS é igual uma embarcação que foi lançada ao mar em busca de um objetivo.

Como toda embarcação, é sujeita a tempestades mas certamente como o sábio ditado diz, após a tempestade vem a bonança.

Nessa embarcação tem homens e ratos.

Os homens permanecem firmes, lutando em prol de um objetivo, cientes sim das dificuldades mas dispostos a lutar sempre.

Os ratos abandonam o barco no meio do caminho, caem num mar enorme e bonito, mas que com o tempo se transformará no seu pior pesadelo.