Páginas

Quando o torcedor entrevista Gustavo!


Antes de mais nada, é um prazer falar com um dos novos nomes da geração do Palmeiras que a torcida se identifica muito. Gustavo, na zaga é sinônimo de confiança, raça e amor ao clube. Não que os demais jogadores não a tenham, mas o caso do Gustavo transparece na pele, no suor e na dedicação em campo.



Obrigado a minha amigaça Dani Malacrida pela ajuda na entrevista, sem você para fazer esse meio de campo tornaria-se inviável esse presente à torcida Palmeirense.

E obrigado também ao Gustavo pela atenciosidade, e desde já, sinta-se em casa.




Através da Comunidade do Palmeiras, os torcedores fizeram uma série de perguntas nas quais separamos algumas. Elas contêm o nome dos torcedores que as fizeram.



Nós, do Carcamanos, esperamos que toda a torcida conheça mais sobre você e que se divirta com as respostas.



Obrigado Gustavo!




*************************************************************************


Ficha Técnica



GUSTAVO FRANCHIN SCHIAVOLIM

Nascimento: 19/02/1982, em Campinas-SP
Altura: 1,86m
Peso: 84kg

Chuteira: 42, destro
Clubes: Guarani-SP (1999 a 2001), Levski Sofia-BUL (2001/02), Dínamo de Moscow-RUS (2003), Goiás-GO (2003), Ponte Preta-SP (2004/05), CRB-AL (2005), Paraná-PR (2006), Palmeiras.
Títulos: Campeonato Búlgaro (2002) e Campeonato Paranaense (2006)
Estréia: Goiás-GO 3 x 1 Palmeiras , em 17/06/2007



*************************************************************************



Como foi o seu caminho até chegar ao Palmeiras? Passou por dificuldades? Foi reprovado em peneiras?
Rafael Silva Barreto

Gustavo: Comecei no Guarani com 12 anos, fiz peneira e estreei aos 18 no jogo Guarani e Corinthians, no qual ganhamos de 3x0 (nota Carcamanos: desde essa época os Gambás são fregueses). Foi aí que tudo começou. Depois, fui para Rússia, onde fiquei 1 ano para voltar ao Goiás, ficando 4 meses. Do Goiás fui para Ponte Preta e fiquei 2 anos lá. Depois fui ajudar o CRB na Série-B em 10 jogos. Das Alagoas fui para o Paraná onde me sagrei campeão estadual e levamos o time para a Libertadores 2007.
Quanto as dificuldades, todos passam na vida, mas temos que encarar e buscar nosso objetivos.



Algum dia, você sonhou começar uma partida como titular de um clube tão grande como o Palmeiras?
Rodrigo Siboto

Gustavo: Sempre sonhei e sempre foi uma meta a alcançar, ainda mais no Palmeiras. Sabia que um dia iria chegar minha grande chance, e quando ocorresse, deveria estar preparado.



O futebol atual se preza mais pelo físico, velocidade e menos o talento (vide Grécia campeã da Eurocopa, Itália da Copa do Mundo, Once Caldas da Libertadores, etc.). Particularmente, prefiro um time mais competitivo onde todos demonstrem garra e dedicação ao time e seu desempenho em campo vai além do profissionalismo. É sempre contida de muita raça e determinação (a torcida palmeirense agradece). Você acha que falta um pouco disso no futebol atual? Você de espelha em algum jogador?
Carcamanos / Marcus Vinicius Bastos Pullito / Gustavo / Henrique Lara

Gustavo: Sempre fui assim! Me entrego de corpo e alma, pois, amo o que faço! Para mim, cada jogo é como se fosse o último, e fico muito feliz por ser reconhecido pela minha dedicação e vontade. Tento sempre que fazer meu melhor e me entregar nos jogos em prol do Palmeiras. Nasci para ser vencedor e o grande vencedor tem que se entregar!

Olha, sempre gostei de jogadores que se entregam em campo e que sejam profissionais fora dele também, como o caso do Raí, César Sampaio e do Maldini (jogador do Milan). Sempre tive uma cabeça boa, para fazer o meu melhor, e ser exemplo para os mais novos em campo e fora dele. Afinal, na vida você tem que ser homem, ter atitudes e ser responsável no que faz.





Como foi pra você estar frente a frente com uma torcida tão apaixonada e exigente com o clube?
Rodrigo Siboto

Gustavo: Sabia das dificuldades que era jogar no Palmeiras, mas sempre acreditei no meu profissionalismo e no meu coração. No trabalho é sempre importante você se dedicar se entregar, mas fico feliz que hoje tenho reconhecimento de todos, no qual me deixa muito feliz. Mas, sinto que posso fazer muito mais. Quero dar um título pra essa torcida que amo muito e que me acolheu super bem. Pois, sei que assim irei ser uma pessoa mais feliz.



Você sempre foi palmeirense, ou virou ao longo dos anos?
Catullo João Marcato Góes

Gustavo: Olha, minha família é do bairro da Penha, São Paulo, alguns outros de Campinas também São Paulo, e sempre torceram para o Palmeiras. Por isso, sempre me identifiquei com o Verdão e hoje me sinto realizado.
Sou feliz aqui e me sinto em casa, casa essa que me proporcionou realizar um sonho de criança que eu tinha.



Como foi marcar o primeiro gol com a camisa do Palmeiras?
Alberto B. Viana Júnior

Gustavo: Uma emoção que levo até hoje comigo. Além de fazer o gol foi maravilhoso ainda, ver o estádio lotado contra o Flamengo e ver meu time ganhar. Uma sensação sem palavras! Senti uma emoção tão grande de ver todos vibrando que não sabia onde ir.



Fico feliz do gol ter saído e de hoje já ter três. Espero fazer mais e mais, porque a emoção é muito grande se quando faz um gol com a camisa sagrada do Palmeiras.



Qual a sensação de jogar com um craque como o Valdívia?
Felipe Caldeira Nabarro

Gustavo: O Valdívia é um cara legal. Todos no grupo são pessoas boas, bacanas que constituem um grupo unido. Fico feliz de conhecer pessoas boas e além de tudo com muita qualidade.



Qual seu maior ídolo no Palmeiras (que joga ou já jogou)?
Leonardo Vieira / Ian Converso Sismotto

Gustavo: Olha sempre me identifico com jogadores que se entregam em campo, como o César Sampaio, Evair, Rivaldo, Roque Jr.. Hoje o Marcos com quem convivo é um herdeiro da camisa que um dia passou por eles.



E sobre a nova geração, analisando as categorias de base do Palmeiras, você poderia nomear alguns jogadores que futuramente darão alegria a torcida palmeirense?
Virgilio Gabriel Nicacio Correa

Gustavo: Hoje vejo o Maurício, um zagueiro muito bom, o Wendel e o Francis. Todos esses passaram pelo time, além é claro do Diego e do Bruno, então fico feliz e acho que o caminho é esse: valorizar a categoria de bases.



O Palmeiras há tempos não ganha um título, e por um lado, aumenta-se a cobrança nos jogadores, mas por outro, pode fazer com que esses mesmo jogadores entrem para a historia do clube. Até que ponto essa pressão é positiva para os jogadores e como isso pode ajudar ou atrapalhar a equipe durante uma competição?
Hugo Uceli / Gabriel Marcondes Palaio

Gustavo: Eu sei que o Palmeiras não ganha nada faz um tempo, mas, não temos que pensar nisso, temos sim, que sermos vencedores naturalmente. Pois, sabemos que temos tudo pra vencer e ainda mas vestindo a camisa do Verdão. Eu tenho certeza que isso é o nosso grande objetivo: ser campeão.
E tenho certeza que seremos! Nós temos que ter a responsabilidade de saber que só ganhando títulos que se vira um vencedor, então quero ser um jogador que marcou a história no clube e não mais um que passou.



Você jogou em 2006 no Paraná ao lado do Edmílson, que veio pro Palmeiras e acabou não emplacando. Aqui, vem atuando com Nem (um pouco menos) e Dininho. Você acha que o fato de fazer dupla de zaga com jogadores mais experientes lhe fez amadurecer até que ponto?
Thiago Ciaciare

Gustavo: Eu sempre fui maduro, assumi responsabilidades e joguei com pessoas mas velhas. Lógico que sempre quero aprender mais, mas, é legal ter jogadores, como você citou, bons e experientes.





O que mudou pra os jogadores com a chegada do Luxemburgo, me refiro no âmbito das motivações, mudanças táticas e os objetivos do elenco. Você poderia dizer quais as diferenças dele para o Caio Jr.?
Pettrus Ricardo de Camargo / Renato Rock Silva

Gustavo: São dois grandes treinadores com filosofias diferentes. Com o Luxa, a gente vai aprendendo e se acostumando com seu jeito de trabalhar, mas, tenho certeza que esse grupo é muito bom, e estamos fazendo o melhor com Luxemburgo para buscar nossos objetivos.





Você foi o primeiro jogador contratado pela Traffic, coisa que na época não foi divulgado e agora está prestes a renovar contrato com o Palmeiras, como funciona uma possível transferência? A Traffic simplesmente resolve vender teu passe (ou contrato, visto que teoricamente o passe não existe mais) e você é obrigado a ir onde ela te indicar ou você pode exercer poder de escolha e continuar jogando no clube que desejar quando houver uma proposta?
Robson da Silva Veiga

Gustavo: Olha, sempre fui esclarecido na minha vida, sempre o jogador opta onde quer jogar, no meu caso também não é diferente. Eu vejo se será bom pra todos e aí seguir o caminho ou não. Eu ainda não renovei com o Palmeiras tenho contrato ate final de junho de 2008 e a intenção é ficar, pois me sinto feliz aqui, mas vamos conversar e resolver tudo isso.


"Outra coisa me sinto feliz por ser o primeiro jogador da Traffic, então quero continuar no Palmeiras por muito tempo ainda."




Como é ser um dos ídolos de uma torcida como a Palmeirense, e saber que passa segurança para nós, e que todos querem e torcem para que você fique e vire ídolo?
Catullo João Marcato Góes

Gustavo: Uma coisa que sempre tive na minha cabeça, era chegar no Palmeiras e não ser só mais um, e sim ser uma referência ficar marcado na história do Palmeiras. Venho fazendo o máximo e quero cada vez mais e mais dar títulos a essa torcida e clube que me acolheu tão bem.
Fico feliz de vestir essa camisa onde é minha segunda pele. Afinal, um grande jogador só fica marcado com vitórias e títulos.



Você dispensaria uma contratação de um clube europeu para virar ídolo e fazer historia no Palmeiras?
Caio / Carcamanos

Gustavo: Hoje sou feliz por tudo que vivo no Palmeiras. Fiz e faria tudo de novo para estar onde estou, vestindo essa camisa. Mas, se tiver a valorização necessária pela diretoria, o reconhecimento de um planejamento para meu futuro não vejo problema de ficar. Ir para Europa não me deslumbra muito, e vejo que não adianta ir por ir, ser mais um lá fora, e largar tudo isso que vivo no Palmeiras. Hoje sim vivo o meu momento e sou muito feliz por tudo o que vivo aqui.



Você atuaria por um rival do Palmeiras?
Diego Teixeira Galan

Gustavo: Antes de vir para cá tive uma proposta do Corinthians, mas não quis ir. Queria sim jogar no Palmeiras e meu coração falou mais alto. Hoje é difícil sair do Palmeiras para jogar num clube rival, não me vejo jogando em nenhum.



Em sua opinião, você prefere um esquema de três zagueiros ou de dois zagueiros e dois volantes, como o de atualmente? Por quê?
João Gabriel Martins Dallo

Gustavo: Hoje é relativo, cada treinador tem um modo de jogar, de atuar e de armar seu time. Nunca tive problemas de esquemas, gosto de jogar nos dois, tanto 3 ou 2 zagueiros, depende muito do elenco que se tem para armar sua equipe.



O zagueiro Henrique, que aparentemente joga pelo mesmo lado que você e trata-se de um zagueiro muito promissor, e que a meu ver também possui as mesmas características que você, dentre elas a antecipação às jogadas. Você acha possível dois zagueiros com a mesma forma de jogar atuarem juntos? Se o Luxemburgo escalar vocês dois no esquema 4-4-2, você se disponibilizaria a jogar pelo outro lado do campo? (Adaptada)
Gustavo Dalpino / Aldo Ferrari / Rafael Rodrigues Carelli / Michael Dias Barbosa

Gustavo: Já joguei do lado esquerdo na Ponte Preta e no CRB, não vejo problema nisso. Hoje estamos jogando juntos e felizes pelo entrosamento e baixa média de gols. Nós dois estamos conversando muito e acertando o posicionamento em campo para fazer grandes jogos com a camisa do Palmeiras.



Hoje o Palmeiras está retomando seu devido lugar como um time muito competitivo e que provavelmente ganhará muitos títulos, mas ainda existe aquela imprensa que não reconhece os esforços da diretoria do Palmeiras, que, aliás, a persegue. Até que ponto a imprensa prejudica o Palmeiras ao ser parcial em respeito a elenco e diretoria? Como os jogadores do elenco vêem isso? Você acha que faltam torcedores Palmeirenses na imprensa ou que saiba defender nosso time?
Diego Daroz Ayusso / Danilo Santos / Gabriela Montemezzo / Aldo Ferrari / Thiago Oliveira / Simone Redondo

Gustavo: No meu modo de ver a diretoria vem fazendo um grande trabalho, sabemos dos esforços que ela vem fazendo e fez para dar todo respaldo necessário para cada jogador fazer seu melhor, mas em toda vida e em todo lugar existe críticas e vejo no Palmeiras que as coisas começaram a mudar. Quando os títulos vierem aqueles que criticam irão aplaudir.
Vejo que hoje temos um elenco competitivo, uma comissão técnica excelente e uma diretoria fazendo sempre seu melhor. Sabe quem ganha com isso? O Palmeiras e todos nós.



Você tem um site sobre sua carreira profissional. Todos nós sabemos que alguns profissionais da imprensa são mal intencionados e alteram o sentido de uma fala sua, ou dizem algo que não é verdade. Você já pensou em usar o site para dar sua versão oficial dos fatos quando ocorrem essas situações? E você já pediu Direito de Resposta alguma vez para que corrigissem algum erro desses?
Rafael Pereira

Gustavo: Tem uma pessoa que cuida do meu site, não tenho assessor de imprensa porque sou uma pessoa esclarecida e resolvida, então sempre fui transparente no meu modo de agir e pensar, portanto, nunca tive problemas com a imprensa - eles me respeitam e eu respeito eles.





O time está mais amadurecido após o triste fim após não conseguir uma vaga na Libertadores desse ano?
Henrique

Gustavo: Mudou muitas coisas aqui, vocês torcedores vêm isso. Tenho certeza que esse ano temos tudo para fazer um grande ano e buscar títulos. E tudo que acontece nessa vida você tem que tirar uma lição e enfrentar as coisas que vem pela frente para fazer seu melhor e sair vitorioso. Levo uma coisa sempre comigo: as adversidades vêm na vida para a gente aprender e ter força para se superar, para que as vitórias possam vir valorizadas.



No passado você estava muitos jogos sem tomar cartão. Foi só a imprensa noticiar o fato que na seqüência você tomou o amarelo, em um lance que não merecia. Você acha que os árbitros são influenciados pelo que a mídia divulga?
Fábio Solito

Gustavo: Foi um recorde legal fiquei, 15 jogos sem tomar cartão amarelo, fui uma vez só expulso em toda minha carreira, mas, hoje todos vêm e ficam espertos. Naquele lance não vi maldade, não foi merecido, apesar de sempre ter tido um bom relacionamento com os árbitros.



Você pretende ficar no palmeiras até quando? Quais são seus sonhos em relação a sua carreira?
Thales Bastos Donizeti Silva / Carcamanos

Gustavo: Eu tenho contrato até dia 30 de junho de 2008 e não resolvi nada sobre meu futuro. Quero muito ficar no Palmeiras, mas não está nada resolvido. Hoje só penso no Campeonato Paulista e Copa do Brasil, pois, quero fazer meu melhor e junto com os companheiros buscar esses títulos.



Gustavo no time tem muitos jogadores brincalhões, como o David, Leandro, Valdívia e Marcos. Conte-nos alguns podres deles, fatos engraçado, curiosos.
Carcamanos

Gustavo: O grupo brinca muito, o ambiente aqui é muito bom, como era o ano passado. Não tem vaidade, aqui passamos muito tempo juntos – concentrações, viagens, jogos – assim, o pessoal sempre esta brincando, colocando apelidos – como já saiu na imprensa –, então a gente ri dessas coisas.


(Nós já sabíamos disso Gustavo, ou melhor "Lindão", segundo Leandro, hehehe)



Se você não fosse jogador de futebol, o que gostaria de ser?
Simone Redondo

Gustavo: Sempre tive esse sonho, comecei cedo a jogar e sempre me vi jogando numa grande equipe como estou hoje, lutei muito para chegar esse momento e sou feliz por tudo que aconteceu em minha vida. Valeu a pena tantos anos de esforços, de luta e entrega. Para mim nunca foi fácil, mas, agradeço sempre a Deus e a minha família por sempre ter me apoiado em todos os momentos.



E para finalizar. Apesar do pouco tempo de clube, qual foi a sua maior alegria no Palmeiras?
Mateus Vaccaro Tarifa / Stefano Martini de Carvalho Bontempo

Gustavo: Primeira foi vestir a camisa do Palmeiras, foram alguns meses de luta e de esforço para acertar – Schalke 04 não queria me liberar –, mas, foi no jogo contra o Flamengo que fiz o gol da vitória e ganhamos de 2x1. Ver o estádio todo vibrando foi uma emoção muito grande, isso me deixou muito feliz porque também minha família estava lá.


E outra emoção aconteceu no jogo contra o Paraná, que ganhamos em casa por 3x0 e tirei várias bolas seguidas e com isso a torcida gritou meu nome. Na hora fiquei numa pura emoção, então essas coisas me motiva a jogar e a vestir essa camisa maravilhosa.

Campanha do Observatório Verde

Pessoal estou divulgando esse trabalho do excelente Observatório Verde contra ao conflito de interesses da Federação Paulista de Futebol e o futebol brasileiro.


---------------------------------------------------------------------------------------------


OV: jornalismo participativo contra o conflito de interesses


Julgamento realizado, Kléber pega um gancho de três jogos. Justa ou não a punição (você achou o quê? comente!) a boa notícia é que o número 30 poderá jogar nas semi-finais.

Mas nosso problema continua. Não é porque Kléber não pegou os tão falados 120 a 540 dias que os problemas institucionais do TJD se acabaram. Novos casos certamente surgirão e a questão do conflito de interesses em breve virá novamente à tona.

E aí temos um problema de informação, para o qual a imprensinha poderia contribuir mas duvido que o faça. Já sabemos que Zago é presidente do Conselho Fiscal do time do Jardim Leonor. Sabemos também que Alberto Bugarib é conselheiro leonor. Embora não pertença ao TJD, sabemos também que Marco Polo Del Nero, presidente da FPF, é conselheiro do Palmeiras (segundo declaração de Zago, é Del Nero que convida os participantes do tribunal. Então: vaza!). Mas e os outros membros do TJD?

Então queremos propor um exercício aos amigos palmeirenses: que tal reunirmos informações para fazermos um mapa do conflito de interesses no TJD paulista? Aqui no OV, informalmente, já realizamos alguns exercícios de jornalismo participativo/colaborativo/cidadão, como os comentários sobre as transmissões dos jogos e a observação coletiva da imprensinha. Mas não seria bacana termos um desenho completo de quem é quem nesse tribunal? Nada pessoal, Bugarib, Del Nero, Zago e outros podem ser caras muito gente boa. O fato é que a instituição está construída de modo torto e desnudar isso pode ajudar em sua melhora.

Nosso trabalho terá duas fases. Na primeira temos que reunir informações sobre os membros do tribunal. Se já detectarmos algum conflito de interesses, ótimo, mas o objetivo principal é conseguir um telefone ou email de contato. Pelamordedeus não publiquem isso comentários. Indícios de conflito de interesses (um link, uma reportagem) tudo bem, mas informações de contato devem ser enviadas ao email obverde@gmail.com (já explico o porquê).

Não será uma tarefa fácil. O tribunal tem muitos membros, que se dividem em auditores, procuradores e as comissões disciplinares. Abaixo a lista extraída do site da FPF:

Auditores-Tribunal de Justiça Desportiva
Dr. Edmo João Gela - Presidente
Dr. Ivaney Cayres de Souza - Vice-presidente
Dr. Ronaldo Botelho Piacente
Dr. Dauro Löhnhoff Dórea
Dr. Ricardo Bandle Filizzola
Dr. Nicolao Constantino Filho
Dr. Osvaldo Nico Gonçalves
Dr. Fernão Dias da Silva Leme
Dr. João Eduardo Cerdeira de Santana

Procuradores
Dr. Antônio Carlos Meccia
Dr. Edison Richelmo Zago

Auditores da 1ª Comissão Disciplinar
Dr. Acyr José de Almeida - Presidente
Dr. Alberto Bugarib
Dr. Emilio Françolin Júnior
Dr. Luís Antônio Martinez Vidal
Dr. Marco Antônio Zito Alvarenga

Auditores da 2° Comissão Disciplinar
Dr. Antônio de Moura Abud Júnior - Presidente
Dr. Luiz Carlos Telles
Dr. Norberto Domato da Silva
Dr. Mauricio Neves da Fonseca
Dra. Beatriz Sorrente Dal Pra

Auditores da 3ª Comissão Disciplinar
Dr. Carlos Alberto Ferraz e Silva - Presidente
Dr. Carlos João Eduardo Senger
Dr. Jurandir Correia de Sant´Anna
Dr. Norberto Domato da Silva
Dr. Youssef Abu Chahin

Secretário
Dr. Carlos Roberto Fernandes Silva

Ajudaria muito se a assessoria da FPF nos passasse o contato desses doutores. Já tentei isso e não deu resultado, nunca me responderam. Quem sabe com o pedido de outras pessoas isso mude. De qualquer forma, há outras maneiras de se conseguir essas informações.

Aí entra a segunda parte, fazer para cada um dos membros do tribunal as seguintes questões:

1- Para que clube o Dr./Dra. torce? É sócio, conselheiro ou membro de alguma instância dirigente de algum clube que dispute a série A do campeonato paulista de futebol?

2- Não acha que o fato de membros do tribunal serem conselheiros de clubes da série A1, configurando claro conflito de interesses, coloca uma suspeição desnecessária sobre o TJD?

Antes de fazer qualquer pergunta, peço que enviem os contatos para o obverde@gmail.com A idéia não é perturbar os doutores com uma enxurrada de emails e telefonemas. Queremos é conseguir as informações de cada um deles e ouvir suas opiniões sobre o polêmico conflito de interesses. Sabendo como contatar cada membro do tribunal, dividiremos a incumbência de falar com cada um deles, de modo que ninguém seja contatado duas vezes.

Aí, com esse material nas mãos, checamos, compilamos e publicamos tudo no OV, com os devidos créditos a todos que ajudarem.

Recapitulando. O trabalho se divide em duas fases: conseguir os contatos e fazer as entrevistas. Precisamos de braços para as duas empreitadas. Quem conseguir os contatos manda a informação para obverde@gmail.com . Quem estiver a fim de ajudar nas entrevistas escreve para o mesmo endereço. Com os contatos em mãos dividimos o trabalho e publicamos a compilação final aqui no OV.

Se der certo, e boto fé que vai dar, vai ser algo bacana demais e iniciativa pioneira no futebol. Natural, já que vinda de palmeirenses.

PS: Agradeço aos sites da Mídia Palestrina que divulgarem a iniciativa.

Quer sentir como é ser um Palmeirense?


Depois de ser punido por 3 jogos de gancho (coincidência!?), o atacante Kléber respondeu assim ao seu gancho:

"Vou honrar a camisa palmeirense na Copa do Brasil e torcer pelos meus companheiros conseguirem essa desejada vaga às semifinais. Se a gente chegar, seremos muitos fortes, e eu ainda mais. Estou com muita vontade de retribuir com algo de bom para o Palmeiras, e o elenco também", avisou.



Resumindo


Acima da imprensinha, acima dos rivais, acima de parte da própria torcida, nós palmeirenses somos uma família unida em pró de um objetivo:

Trazer o Palmeiras para o século XXI através de sua história, amor a camisa e sentimento único pelo Verdão. O gigante tem que retornar ao lugar de onde jamais deveria ter saído. Somos um time de tradição, de respeito e ética na história do futebol mundial.


Repito: um time de tradição, de respeito e de ética na história do futebol mundial!




Futebol se resolve dentro de campo!
By Muricy

O álcool me impede de comentar o jogo de sábado


Fui para o Bar no sábado e juro que entre uns espetinhos e cervejas, me vem a cabeça a lembrança dos dois gols do Verdão e uma defesaça do Marcos.

O feriadão foi regado a álcool, churras, chocolate e Guarani contra os Bambis.

Voltando ao jogo, pelo o que li, o Palmeiras jogou bem e se impôs em campo. Fez 2 gols e garantiu sem sustos os 3 pontos. Quarta é contra a Lusa. É ir atrás de mais uma vitória e se consolidar no G4.

A FPF soltou o dia e hora do jogo da penúltima rodada do Paulistão: 29/03/2008 16:00 Palmeiras x São Caetano.



Caso Kléber




Não quero me estender sobre o caso. Sites da mídia palestrina já se manifestou, aliás com muita qualidade.

Carta aberta ao TJD - FPF


Prezados auditores, relatores e procuradores do TJD, presidente e diretores da Federação paulista de Futebol e membros da comissão de arbitragem de SP,

Nos últimos anos o Palmeiras foi um dos times que teve o maior número de jogadores/técnicos envolvidos em casos de julgamentos da justiça esportiva.

Foram casos "denunciados" por imagens de transmissões de TV, pela mídia esportiva e até por rivais. Para citar apenas o caso mais recente, nosso treinador - Vanderlei Luxemburgo, teve de dar explicações por supostamente desrespeitar a chefia da arbitragem paulista. Tais declarações custaram ao técnico uma salgada multa de R$50 mil.

Respeitando a punição aplicada a Luxemburgo, pedimos agora ao tribunal e à F.P.F que se utilize dos mesmos critérios e julgue as declarações dadas pelo superintendente do São Paulo Futebol Clube, Marco Aurélio Cunha, que após ver seu time ser goleado pelo Palmeiras no último domingo, deu declarações tão ou mais polêmicas que as dadas por Luxemburgo.

Dentre outras coisas, Cunha declarou que seu time é alvo de uma espécie de "complô" da arbitragem para prejudicar o São Paulo Futebol Clube. O dirigente são-paulino ainda desmereceu o campeonato paulista, afirmando que o seu clube tem objetivos maiores na temporada.


Sendo assim, nós Palmeirenses que compomos a Mídia Palestrina, pedimos que o tribunal seja imparcial e que também julgue o sr. Marco Aurélio Cunha.

Se o nosso treinador foi multado por ter dado declarações contextualmente semelhantes, é de se esperar que no mínimo as declarações de Cunha sejam examinadas pelo pessoal competente do tribunal, e que ele seja chamado a apresentar provas do suposto "complô" que ele diz haver, pois isso é uma denúncia muito grave e que coloca sob suspeita o campeonato paulista de 2008, a integridade da Federação Paulista de Futebol e a atuação da comissão de arbitragem do Estado de São Paulo.

Esperamos a resposta de vocês perante a opinião pública e perante todas as torcidas, não apenas os palmeirenses, o mais rápido possível.





Atenciosamente,





Palmeiras Todo Dia - www.palmeirastododia.com
Parmerista - www.parmerista.com.br
Mondo Palmeiras - www.mondopalmeiras.net
Só Palmeiras - www.sopalmeiras.com
Observatório Verde - www.observatorioverde.net
Terceira Via Verdão - www.terceiraviaverdao.blogspot.com
Planeta Palmeiras - www.planetapalmeiras.blogspot.com
Carcamanos - www.carcamanos.blogspot.com

Carcamanos denuncia...

O jogador Juninho está desaparecido desde o meio da tarde deste domingo. O jogador foi visto pela última vez após o corte do Kleber no primeiro gol do Palmeiras. Testemunhas disseram que viram o jogador escorregando lá pelos lado do Jardim Leonor. Quem tiver notícias entrar em contato com a diretoria do SPFW.




Aberta a temporada de caça


"É preciso saborear essa vitória"
By tio Luxa

É só assim que começo meu post.
Que fim de semana perfeito. No sábado meu Juventus aprontou contra a galinhada e trouxe um empate para a Rua Javari. Em pleno Morumbi, na cara dos Gambás.

Mas o destino reservou para a tarde de domingo o melhor. Depois de sair perdendo de 1x0, ter um penalty não marcado no 1º tempo o Palmeiras empatou num golaço do Kleber.



Momento denúncia: O jogador Juninho está desaparecido desde o meio da tarde deste domingo. O jogador foi visto pela última vez após o corte do Kleber no primeiro gol do Palmeiras. Testemunhas disseram que viram o jogador escorregando lá pelos lado do Jardim Leonor. Quem tiver notícias entrar em contato com a diretoria do SPFW.




Voltando ao jogo: Léo Lima acabou com o jogo novamente, aliás, nessa tarde até os deuses fizeram o Martinez jogar bola. Bela partida, fião!
Após, a entrada de Denilson o circo estava armado e num penalty claríssimo o ex-bambi (quem disse que não tem ex-viado) marcou o seu de penalty e saiu vibrando com a maior emoção do mundo.

Logo após o time do Jardim Leonor sentiu o baque e num cruzamento o atacante Kleber recebeu na área e sofreu outro penalty, dessa vez marcado pelo Juninho, que reapareceu depois da ajuda de testemunhas que o localizaram na linha lateral após o gol do Kleber. Valdívia cobrou e aumentou o placar. Faltou o chute no vácuo, mas clássico é clássico.

Mas, perto do fim da peleja Diego Souza sofreu outro penalty (Ah! que isso, elas estão descontroladas) e partiu pra cobrança e com direito a paradinha deu números finais a partida. Como eu queria que o Valdivia tivesse batido esse com chute no vácuo.



No final... lavamos a alma.



Agora só resta eles limparem a merda que fizeram no córrego Antonino.

Podem chamar o Adriano, porque de merda ele entende!

Hoje a cerva é por minha conta!

Se eu tivesse num bar, como íamos nesse domingo eu falaria em alto e bom tom:



Hoje a breja é por minha conta!



Meu filho não nasceu, nada disso!




É a pura e simples alegria de poder gritar para todo esgoto do Jardim Leonor ouvir:



Chupa Bambis, do caralho!

Aqui é o campeão do século XX. Modinhas é na casa do caralho!

Jardim Leonor na merda

No final de janeiro deste ano, o OV fez um post sobre um link que as Balas Juquinhas colocou no seu cafofo eletrônico, de como a Traffic se relaciona com o meio ambiente.
No devido post, o Rafa fez uma belíssima resposta de como as outras empresas, algumas digamos muuuuito maior que a Traffic também trata de forma afetuosa o verde.

"Como o Observatório Verde não compactua com ações vilãs como essa, decidimos entrar na cruzada de Juca e denunciar também as corporações malvadas que prejudicam o planeta e depois querem fazer moral com os torcedores dando dinheiro para o futebol."


Lá pela tantas do texto o pessoal do OV põe em miúdos o comportamento que uma certa Samsung, Lg e Nike tem com o meio ambiente (e dá-lhe clichê).



E como nós da mídia palestrina não gostamos de injustiças aqui vai mais uma sugestão de investigação para o nosso "amigaço" Balas Juquinhas.



MP investiga São Paulo por crime contra o meio ambiente

Além de arremessar esgoto num córrego, clube do Morumbi teria cometido delitos de poluição sonora



"O Ministério Público Estadual abriu inquérito para apurar denúncia de moradores do bairro Jardim Leonor, zona sul da capital paulista, de que o vizinho São Paulo vem cometendo crimes contra o meio ambiente. O promotor José Eduardo Ismael Lutti, da 4.ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, investiga se o clube comete delitos de poluição sonora e contra os recursos hídricos. A diretoria são-paulina disse que está resolvendo os problemas."



E não é que o time do Jardim Leonor, exemplo de gestão, de transparência, de profissionalismo, não sabia (ou se esqueceu) que os seus esgotos caem num córrego (Antonino) e deságua no Rio Pinheiros, ajudando a proliferar doenças, ratos e enchentes em fortes chuvas, como dessa semana. Que memória rum, não é verdade!?


"O inquérito está registrado sob o número 279/07, de 3/3/2008, e traz informação surpreendente: o São Paulo não está conectado à rede coletora de esgotos e só está parcialmente à de abastecimento de água da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Diariamente, o clube compra milhares de litros de água entregues em caminhões-pipa. Mas o grande problema é falta de esgoto."


Mas o que pode acontecer a esse clube de tantas glórias, exemplo de integridade e profissionalismo?

"Durante os trâmites da investigação, e de um eventual processo, o clube pode ter a parte social e até mesmo o estádio interditados. Vale lembrar que o Morumbi é hoje o principal candidato paulista a sede de jogos da Copa do Mundo de 2014."


Mas, como ninguém viu isso antes? O Morumbi é um estádio moderno e seu banco de reservas é padrão FIFA (by Galvão Bueno). Como pode o clube passar por essa crise (?). Meu Deus, um time do porte do SPFC não pode virar chacota mundial com uma história dessas. Alguma coisa tem que ser feita. (ironic on)


"A questão do esgoto veio à tona quando ele questionou a Sabesp sobre se era lícito o São Paulo utilizar caminhões-pipa para abastecer o clube. A resposta veio em documento datado de 26 de novembro de 2007: a empresa informava que o clube não está conectado à sua rede, o que implica em crime ambiental, como confirmou o promotor Ismael Lutti.

A sede do São Paulo começou a sair do papel em 1954. O estádio foi inaugurado oito anos depois. Nesse período, todo o bairro não tinha rede de esgoto. No final dos anos 70, a região começou a ser atendida."



Já pensou Itália x Croácia com um tempero a mais no ar!? (E ainda dizem que o time da Marginal sem número que mora perto de um esgoto a céu aberto)


E a história do som?

Como que eu posso conseguir dormir, para que eu possa levantar disposto para trabalhar no dia seguinte se...

"Os moradores reclamam que eventos nos campos amadores fazem com que sócios fiquem na sede até a madrugada, o que gera barulho excessivo."



Minha Nossa Senhora do Ó (entenda aqui uma certa malícia no "O") será o fim dos tempos? Só falta perder domingo para o Palmeiras.

O que será pior? A grama do palestra que virou um pasto no último jogo ou um crime ambiental do SPFW?


Chamem o Greenpeace



Salvem os córregos. Salvem os mananciais. Salvem o Verde. Salvem até os veadinhos se puder!



Uma solução eu posso dar para os esgotos:



Sanem a caganeira do Adriano. Nem bem começou o jogo e a Imperatriz Leonordinense já está se borrando todo.



Clique aqui e entenda o caso da merda

Campineiros regados a banana e água


O Palmeiras foi um ótimo anfitrião recebeu o adversário de ontem e ofereceu um excelente banquete regado a banana e água.
Banana foi para a Macaca que ainda levará uma bela flechada domingo contra o Bugre e a água foi pelo dilúvio que caiu antes, durante e depois da partida.


Tá bom demais!


Agora é assim: jogo no Palestra Itália é sinônimo de respeito.


Tio Luxa disse que quem manda na nossa casa somos nós. Nós, porra!



Nada mais de se retrancar com medo de Pontes e Bragantinos.


Ontem, o time se comportou bem, apesar das ausências do El Mago e Diego "patada" Souza. Começamos a sufocar a Ponte, que ao passar do tempo mostrou porque estava no G4. Fez 1x0, num lance que tinha 2 jogadores em cima da linha e nenhum conseguiu tirar a bola. Coisa do acaso.
A Pinguela poderia ter ampliado se tivesse mais calma num lance igualzinho do lado oposto. Foi aí que o tio Luxa, sacou o raçudo Wendel - jogador indispensável ao time, seja no banco, seja no time principal - e colocou o Lenny. Logo em seguida o time empatou o jogo num ótimo passe do Léo "cala a boca Milton Milk" Lima para o Alex Mineiro. Fomos para o intervalo com o empate e lamentando um penalty que o membro do clã Oliveira (expressão do Parmerista Conrado) não marcou.


Ao contrário do que imaginamos, na volta pro segundo tempo foi a Pinguela que passou a sufocar o Verdão. Na base da raça, já que o bom futebol não veio por causa da chuva e das ausências, o time virou o placar com um golaço do Kleber, que cortou dois para fazer o 2º. Daí em diante o time se portou mais recuado e só indo na boa para o ataque. E levou um susto no último lance da partida quando o Elias perdeu um gol depois de um lançamento do campo de defesa e da falha da zaga.

Valeu pelo placar, pela superação das ausências e o campo encharcado. Aliás, o que tem de nego cornetando o gramado não é brincadeira.
Como não sou especialista nisso, não me pronunciei até saber os "porquês". E eles vieram um dia depois após o bafafá de ontem.



Numa resposta da World Sports ao Gazeta Esportiva:

"Nossa empresa realizou o trabalho em um tempo recorde (40 dias de obra), mas, mais para a frente, detectamos que o solo do Palestra era muito argiloso e ficava saturado com qualquer chuva. Foi feita uma série de trabalhos e, após o primeiro jogo, a grama estava crescendo”, lembrou, citando, na seqüência, um problema que agravou o estado do campo.

O show que aconteceu logo em seguida (Iron Maiden) com 15 mil pessoas pulando em cima, acabou deixando a grama muito desgastada. Compactou tanto que deixou uma camada impermeável, não deixando a água passar”, lamentou.

Não conseguimos fazer trabalho o pós-show e ontem aconteceu o pior. Não esperávamos que fosse ficar tão impermeável. É uma coisa resolvível dentro do escopo do projeto. Já sabíamos que teríamos que fazer esse procedimento ao longo do ano, mas, infelizmente ontem acabou sendo algo inesperado. Vamos arrumar uma maneira de acessar o campo no final de semana. Em termos de grama, estamos quase lá. Só falta corrigir o problema de compactação", concluiu.


Agora vocês podem tirar suas próprias conclusões.



Para o jogo de domingo contra o SPFW, Pierre e Lenny levaram o terceiro cartão amarelo e não jogam (eita clã Oliveira).


Domingo é ganhar ou ganhar. Seja pelo clássico contra o time cor de rosa e/ou pelas pressões dos outros times que estão na sede de entrar no G4 e vão enfrentar times mais fracos que o nosso confronto de domingo.



Só para lembrar?




Aê Bicharlysson, como é que é... o Denilson ta comendo sua mulher!

Quem disse que bons Trajes dignifica o homem?


Ainda no clima violento do começo do jogo de domingo entramos de sola no post Trajano chuta o santo do Observatório Verde para completar a excelente cacetada que o texto do OV da no Mundano, Pé-de-pano (ah, o cavalo do pica-pau, nunca me esqueço dele levando uns tabefes e resmungando), Propano, Soprano Trajano.


"Através da indicação do Roberto Verdão, vi agora há pouco trechos do programa em sua versão online, no site da emissora. E, sabe, também fiquei surpreso com o episódio. Não pela gravidade do acontecido, mas por seu aspecto puramente patético.
Basicamente, rolou o seguinte (e não vou entrar nos méritos dos argumentos): Trajano começa afirmando que a agressão sofrida por Marcos não isentaria o goleiro de uma eventual punição caso fizesse, ele também, uma falta. E levanta a bola de uma suposta blindagem promovida pela crítica esportiva ao goleiro, dizendo que jornalistas seriam condescendentes, etc etc."



Não acredita? Veja o vídeo editado* você mesmo.









Meu Deus, se o Marcos recebe blindagem da crítica esportiva o Padre Rogério Cene recebe o quê? O Honoris causa do meio esportivo?
Mas o texto continua e o que parecia impossível nesses últimos meses aconteceu: As balas Juquinha defendeu o Marcão com unhas e dentes. Isso mesmo, Balas Juquinha defendeu algo relacionado ao Palmeiras.


Parem as máquinas!


"Juca Kfouri defende Marcos dizendo que ele é um atleta especial que, ao ser leal em campo, vem levando a pior dos atacantes nas disputas de bola mais duras. E que, no lance em questão, graças à falha do juiz, que não parou o jogo imediatamente após a entrada sem noção do atacante bragantino, o episódio deve ser visto por uma perspectiva especial. E continua, afirmando que a biografia do Marcos deveria ser levada em conta na decisão do árbitro."


Não acredita? Veja o vídeo você mesmo.








Contudo, a frase do ano da imprensinha, mais sacana que qualquer meras 4 linhas do Painel FC, das Balas Juquinhas, do Birner, Little Paul, Gazeta, foi...


"E Trajano exclama: 'Marcos tá sempre quebrado porque é um podre, UM PODRE'."





Pimenta no rabo dos outros é refresco!





*No programa, o chefe da rapaziada, Trajano, ainda compara o Marcão ao Pimenta Neves.

Em terra de lingüiça, o porco se deu bem


O Bragantino se não fosse o clube que alavancou a carreira do Luxa (maior técnico no Brasil), entraria para o rol daqueles times que ninguém sabe pra que existe. Mas uma coisa é certa: adora foder o Palmeiras.
Junto com ele entra também, o União São João de Araras, Ponte Preta (espero que quarta levem uma sabugada), Sport, e o mais novo Ipatinga.


Surgiu o alviverde imponente. No gramado em que a luta o aguarda, o Palmeiras vira o jogo e goleia o time de bragança.


Entre altos e baixos, meus goles de cerveja temia em ficar preso na garganta. Como o time começa bem, equilibra, volta bem, leva um gol, igual a partida, tem um jogador expulso, leva o segundo, diminui com um a menos, se iguala em jogadores em campo, empata, fica em maior número em campo, volta para o segundo tempo e vira o jogo, o juiz ajuda (alguém anota o dia e a hora porque essa é pra entrar para a história) e marca um penalty, perde o penalty leva na trave, faz o 4º gol, o morrinho artilheiro ajuda e faz o 5º também.


Tudo isso em apenas um jogo. Ufa!

Aí não tem coração, cerveja, unha, ponta de caneta, braço de sofá, controle remoto e/ou celular que aguente.

Quem assistiu ao jogo Palmeiras e Bragantino, tomou um susto logo no começo. Dois gol e uma expulsão do nosso São Marcos. Foi neste momento que pensei:


"Se o Palmeiras quiser realmente ser campeão, este jogo vai ser a prova."


Vou fazer uma geral da peleja, pois já é segunda e todo mundo já leu ou já deu seus pitacos da partida.

Finalmente o Palmeiras tem um time pra brigar por títulos. E não é somente os titulares que jogam bem. Os reservas também são jogadores de peso que decidiram a partida. O time de comportou bem, mesmo com o placar adverso. Aliás, eu nunca gostei da calma de como alguns times se comportam em campo, me lembra os times fiascos do Parreira. Como alguém perde de 2x0 com um a menos e fica calmo? Por mim, já estaria sem um fio de cabelo.



Marcos

Errou e assumiu. Ponto para um cara de caráter inegável.

"Se eu tivesse na mesma situação do árbitro, teria feito a mesma coisa. Mas só quero que ele saiba que não fiz nada por mal."

"Eu errei. Sou um atleta experiente e não deveria ter reagido. Quero isentar o Paulo César de Oliveira de qualquer tipo de culpa. Mas, é claro: se a falta tivesse sido marcada no primeiro lance, eu não teria sido expulso."

Ah o caráter...


Léo Lima e Pierre

Monstros no meio de campo, e o segundo até chutou de fora da área que culminou (gostou da palavra?) no gol de empate.

Kleber

Só uma coisa: mais seis meses pelo amor de Deus.

Leandro

Calou e cala a muitos, inclusive a mim. Ninguém desaprende a jogar bola. É fato!

Denilson

Se quiser pode ser o que quiser dentro do Palmeiras. Tem talento, carisma pra ídolo, só falta ele querer e pelo jeito quer. Continue in love...


Valdívia: a foto explica









A macaca de Campinas vai levar banana na quarta. Mas, quem gosta de banana não é... bem vocês já sabem!

Relíquias


Esta semana chegou as minhas camisas que encomendei no Clube Retrô, e antes de qualquer coisa, deixo aqui meu muito obrigado ao excelente atendimento do Daniel, que me ajudou e tirou "ns" dúvidas. Sem sombra de dúvidas ele ganhou mais um cliente. Afinal, estarei sempre de olho no site em busca de mais novidades.

Daniel, ainda espero a da Itália e a do Palmeiras que já tinham esgotadas.

Segue logo abaixo imagens das minhas camisas (clique na figura abaixo para ver em tamanho maior), e é claro que não poderia de deixar de fora a do Juventus da Mooca, meu novo domínio residencial, e que tem uma das mais lindas camisas de futebol do mundo.



Nós dissemos


Saiu a nova edição da revista Placar e com ela vem a tona a velha discussão dos jogadores cai-cai. Aliás, jogadores não, Valdivia!

Como eu disse no post Lenda urbana, tenha a bondade, meu caro leitor, de perguntar para os amantes do esporte bretão quem é maior cai-cai do futebol brasileiro, quiça do mundo, e vocês ouvirão de bate pronto um nome chileno. Como já trabalhado no post anterior, é um grande fruto da imprensinha, criar um rótulo negativo a um jogador que não pertença ao SPFW e ao time da marginal sem número.

Ainda no post, eu havia dito que o blog do André Rizek tinha nos dado uma palhinha da edição que viria às bancas da Revista Placar, desmacarando o verdadeiro cai-cai do futebol brasileiro, quiça mundial.


Pois bem, no post do meu amigo Lucca do Planeta Palmeiras, ele pôs alguns tópicos interessantes da reportagem disposta no site da própria revista, entre eles, estão:



O CAI-CAI

1º lugar: Dagoberto - SPFC
2º lugar: Valdívia - SEP
3º lugar: Leandro - SPFC

"Se eu vou apitar um jogo do São Paulo, já fico mais atento ao comportamento do Dagoberto, para que ele não venha a me causar problemas."



Isso mesmo caro leitor, se confirmou o que o André tinha adiantado em seu blog. Mas, as surpresas não param por aí, o time do Jardim Leonor lidera boa parte da pesquisa com os árbitros:


O RECLAMÃO

1º Rogério Ceni - SPFC
2º Leandro - SPFC
3º Fábio Luciano - FLA

"O Rogério Ceni não xinga o árbitro, mas é muito irônico. Ele sempre vem com um comentário sarcástico para discutir com o juiz."



Será que reclamar dá resultado? Tou começando a achar que sim. Deve ser por isso que o RC usa desse artifício, quando levanta a mão pedindo impedimento para anular os gols, que ele não consegue evitar se ajoelhando no chão.


O ENCRENQUEIRO

1º Leandro - SPFC
2º Fábio Luciano - FLA
3º Túlio - BOT

"O Leandro só começa a funcionar depois do primeiro cartão amarelo." - (ou do primeiro chifre)



Tem gente que tem que pagar de macho de alguma forma, né. Mas, em casa as coisas não andavam bem. Afinal de contas, rolaram boatos no ano passado que o Alex Silva, vulgo pirulito, estava dando uma sapecada na mulher do Leandro cabelinho pega rapaz. Pois é, seo Leandro, pirulito na casa dos outros é refresco.


O SANTO

1º Romário - VAS
2º Rogério Ceni - SPFC
3º Fernandão - BOT



Aqui não entendi a ironia dos juízes, como que alguém pode ser o 2º santo e o 1º reclamão. Me expliquem.


O LORDE

1º Luxemburgo - SEP
2º Muricy Ramalho - SPFC
3º Caio Júnior - GOI



Eu fico aqui imaginando o Muricy sendo lorde com alguém(?).


O ALÇAPÃO

1º Vila Belmiro - SFC
2º São Januário - VAS
3º Pq. Antártica - SEP



Está na hora de transformamos nosso estádio em o maior caldeirão do futebol brasileiro. A torcida nós temos, time agora também temos um a altura da nossa história e paixão sobra tanto que podemos dar para o time do outro lado do muro. Mas vai que eles confundam o tipo de paixão. Eu, hein!? Sai fora! Melhor não!


Parabéns ao Lucca por ficar de olhos bem abertos nessa mega bomba contra a imprensinha.

S alguém duvida se os juízes têm credibilidade para opinar sobre isso:


"Não seria mais apropriado perguntar a quem está de perto, acompanhando jogo a jogo, lance a lance, e que ouve o que pouco escutam? Seria né!?"





Espero que assim como o fim do texto do André, outros mitos não sejam pré-conceituados pelos juízes, torcedores, profissionais sérios. Afinal:

"É difícil se livrar de uma fama como essa..."



Né, Richarlyson! [2]







Palmeiras
One team, one love

Valdívia faz gambás chorarem!!!!!



Mas uma vez, nosso time do coração não decepcionou no nosso maior clássico! Pela 4ª vez consecutiva, Palmeiras ganha do arqui-rival Corinthians, com show de El Mago Valdívia.

Após crítica de Willian (zagueiro do Corinthians), no meio da semana, alegando que Valdívia era um "chorón", nosso mago ganha forças para humilhar os gambás, a ponto de fazer eles chorarem.

Dribles excepcionais que deixaram os jogadores corinthianos loucos, inclusive o do chute no vácuo (que gosto de chamar, segundo uma enquete na comunidade do palmeiras no orkut, de "na próxima eu chuto, é serio..."). Passes magistrais. E para finalizar a consagração, o gol! E também a polêmica comemoração em resposta aos corinthianos.


E o que eles falam?! Não falam, choram...


- O Valdivia tem qualidade, mas não precisa ficar fazendo graça dentro de campo. Cada um comemora do jeito que quer, mas provocação não é legal - avalia André Santos.

"Provocação não é legal" - Mãeeeeeeeee... buá!



Deixando de lado esta história, esta análise pode ser considerada uma análise individual ou do time?! Diria que dos dois! Valdivia jogou por todos, essa é a verdade! Mas também a de ser ressaltado a raça que o time teve, principalmente depois do gol.


Palmeiras rumo a classificação ao G-4 e ao título 1 x 0 Corinthians




Ps.: Diego Souza não jogou bem, mas mesmo assim, deu um passe certeiro para Klebér que culminou no gol da equipe. Teve duas outras chances para definir o jogo. Na cabeçada e no chute defendido pelo goleiro-gambá. A verdade é que, se o Diego Souza continuar sendo decisivo e jogando mal, vai ser titular. Mas se ele deixar de ser decisivo... Pode ter certeza que Luxa o deixará no banco.

Ansioso...




Afinal, hoje é um Palmeiras x Corinthians!