Páginas

Nada





Do Cruz de Savóia

[...] Palmeiras finalmente conseguiu fazer isso comigo: não sei o que escrever, não tenho vontade ou inspiração para debater nenhum assunto ligado a este time fraco, covarde e preguiçoso.

Tudo o mais: STJD, juíz safado, time que entrega, time que chega, disputa de título, mala branca, mala rosa, mala preta…. tudo isso se torna tão enfadonho e repetitivo que fica distante do possível qualquer análise que valha a pena.

E como se não bastasse tudo isso, a diretoria do Palmeiras ainda zomba do torcedor pela última vez, nos oferecendo uma esmola que soa à uma falta de respeito tão grosseira que não dá vontade nem de responder.

Em todo caso, vá lá: cobrem o preço que quiserem, nobres antas. Talvez vocês não tenham percebido isso o ano inteiro, mas estaremos lá de qualquer jeito, apesar de todos vocês.

Colhões




Por esses vagabundos que aí estão, nunca mais iria no estádio sofrer vê-los sujando o manto que Seo Ademir, Oberdan, César Maluco, Edmundo (este, junto com o Marcos não aguentaria ver o time passando por isso) ostentaram.

Mas pelo amor ao clube campeão do século XX e por tudo que ele representa em minha vida estarei lá contra o Galo, com chance ou não, com vagabundos ou não, com craques ou não, com técnico medroso ou não... estarei no meu, no seu, no nosso Palestra.


Vou estar lá pelo amor que move esse sentimento!

Caráter a gente não compra





Feliz do time que tem um exemplo de jogador e caráter no elenco como nosso camisa 12. Já disse isso aqui sobre os momentos torcedor do Marcos. Ele ama o clube, e como tal, não suporta ver o time nessa situação.

Vocês verão na entrevista abaixo feita ao Juliano Costa, do JT, porque São Marcos é São Marcos.

A paciência está no fim
Marcos lamenta ‘falta de personalidade’ do time e diz que, se não ganhar hoje, já era - Juliano Costa

Porto Alegre - Com Marcos não tem firula. No voo de uma hora e meia para Porto Alegre, o goleiro colocou o dedo na ferida, expondo os problemas que, a seu ver, levaram o time da primeira para a terceira colocação. E se não ganhar do Grêmio, diz ele, “já era”.

JT: Uma semana após o tropeço contra o Sport e seu desabafo na saída do campo, como você se sente? O grupo ainda tem ânimo?

Marcos: Estou tranquilo e o grupo está animado, como sempre. Esse é o problema. É sempre muita animação no voo, no hotel, no vestiário. Mas em campo nem todo mundo faz o seu e ninguém cobra ninguém. Só eu falo minhas groselhas. E aí sai: “Marcos desabafa.” Não é desabafo. É cobrança. Tem de cobrar.

E só você faz isso?

Sabe qual é o meu problema? Sou palmeirense e estou há 17 anos aqui. Eu me envolvo demais, não consigo me desligar. Hoje em dia a maioria dos jogadores não está nem aí. Tem muita gente paparicada, mimada. O cara erra o chute, erra o cruzamento, e ninguém vai cobrar dele. Aí o cara sai e vai jogar em outro time. Mas se eu erro, o mundo cai em cima, porque todos esperam de mim o melhor, o tempo todo.

Você está cansado, então?

Demais. Tenho mais dois anos de contrato e acho que não vou aguentar.

Acha que não dá para ser campeão no ano que vem?

Como é que eu vou saber? Às vezes você monta um baita time, investe, contrata e não consegue nada. Achei que esta era a grande chance, porque chegamos a abrir não sei quantos pontos de distância. Mas mesmo na frente, eu alertei: tinha coisa errada, muita empolgação. Sabia que eu nem conseguia dormir nessa época? Porque eu ficava pensando exatamente isso: vai dar m*...

Marcos, por favor, explique para quem não é jogador profissional: como pode um time cair tanto de rendimento?

(pausa) Não dá pra explicar. Posso até tentar achar palavras bonitas ou usar o discurso que todo mundo usa, mas não vai ser verdadeiro. Aliás, esse é outro problema meu: sempre falo o que penso, o que sinto. Se eu chegasse na sala de imprensa e falasse “não vamos jogar a toalha”, tudo ficaria lindo. Mas como eu vou falar isso se eu sei que ficou difícil (a conquista do título)?

Essa expressão de não jogar a toalha foi usada pelo Diego Souza na segunda-feira. Você está se referindo a ele?

Não, nada a ver. É que todo jogador fala isso. As entrevistas são iguais. Só eu sou diferentão (risos). Os torcedores de outros times me adoram por isso: não falo como jogador. Vamos ser sinceros: falta estudo pra gente aí.

Qual sua formação?

Fui até o terceiro ano do segundo grau, mas não completei.

O presidente Lula costuma dizer que inteligência não depende da formação escolar. Concorda?

Concordo. Já vi cada absurdo em festa de universitário.

Mas tenho certeza de que todo mundo sabe quando é atacado. Ninguém vem tirar satisfação no dia seguinte às suas críticas?

Não e eu te juro: não estou nem aí. Se fica de bico, se não fica, estou pouco ligando. Só garanto uma coisa: o meu eu faço. E ninguém vai me ver criticando jogador que se esforça em treino. Ou você já me viu reclamar do Marcão? Do Danilo? Esses caras ralam pra caramba. Mas tem gente que acha que já sabe tudo.

Quem?

Ah, não posso falar. Mas entra naquilo que eu estava falando: o cara é muito paparicado.

E o rendimento de um afeta o de outros?

Claro. É um jogo coletivo. Futebol são três coisas: treino, concentração e personalidade. Treino não falta. Concentração a gente faz direto. O que sobra? Personalidade. Se o cara não tem pra assumir “na hora do vamos ver”, não rola. E por que não posso criticar? Jogador vive em bola de vidro? É inatingível? Eu alertei cinco vezes. Na sexta, perdi a paciência.

Se não ganhar do Grêmio, já era?

Mesmo se ganhar fica difícil, porque Flamengo e São Paulo dificilmente vão tropeçar. Mas se não ganhar, adeus. Aí já era.

E a vaga na Libertadores?

Aí não, porque ainda teríamos dois jogos para recuperar.

Quando o caldo desandou?

Naquele empate com o Avaí, o primeiro da série de resultados ruins. Saímos perdendo por 2 a 0, empatamos e achamos que era um baita resultado. Faz as contas: se a gente tivesse ganho pelo menos dois jogos desses adversários que estão lá atrás, como Sport e Fluminense, estaríamos folgados na frente, podendo ser campeões na próxima rodada, contra o Atlético-MG em casa.

Quando o Palmeiras liderava com folga, você dizia que o time não tinha nada muito além do Fluminense, que era o lanterna...

Pois é, e naquela época me chamaram de louco, lembra? Futebol hoje está muito nivelado. O que decide é a concentração em campo. Pode ver: os times que estão brigando agora, o Flamengo e o São Paulo, são os mais regulares. Já a gente começou bem, mas depois caiu muito.

O Muricy tem culpa?

Não, ele faz o que dá. O problema é que a gente mudou o estilo de jogo. Fechadinho estava tudo beleza. Quando viramos líderes, fomos com tudo. A gente se abriu, se expôs, deu a cara pra bater e bateram na gente.

Liberdade de expressão?





Isso

A imprensa brasileira, esse câncer que nos consomeMudando um pouco de assunto, amici, só um pouquinho. Essa veio direto do Blog do Azenha – e não poderia passar batido. Gostando ou não dos rumos que o Brasil está tomando, as duas capas reproduzidas abaixo (edições de novembro da americana The Economist e da ‘brasileira’ Veja) dão bem a dimensão do tipo de imprensa que temos.

Mais do que isso: comparando as duas capas podemos medir o grau de manipulação a que o cidadão médio (que busca na grande mídia uma fonte confiável de informação) está sujeito:

.

Economist

.Veja_Brasil_Afunda


+ isso


Constitui de fato a liberdade de expressão?

Vídeo: Levante sua voz

Lágrimas de um campeão





Não vou estragar esse belíssimo texto com introdução, comentários e qualquer coisa do tipo. Apenas digo que esse formidável relato foi escrito pelo Ditão e foi postado na comunidade do Palmeiras no Orkut.

Leia e se emocione...

Lágrimas, as do meu filho doem mais...

Ontem depois do segundo gol do Sport meu filho, Diogão de 6 anos, começou a chorar e vou falar pra vocês; é foda ver o filho da gente chorando.

Em seguida a torcida começou a cantar o hino e ele parou de chorar e cantou junto, mas a gente continuou a não jogar nada e no intervalo ele não quis nada, nem sorvete, nem pipoca, ele estava triste, e me falou: O PALMEIRAS não vai ser Campeão, né pai? Cara me deu um nó na garganta, mas como sempre faço, afirmei para ele que iríamos virar no segundo tempo.

Quase no fim do jogo, depois do enésimo passe de lado do Diego Souza ele me fez outra pergunta, essa eu não consegui responder: Pai, por que o Diego Souza não dribla mais ninguém?

Acabou o jogo e saímos naquele clima de velório, eu já vivi isso muitas vezes, acompanhei a fila inteira, as duas, eu amo o PALMEIRAS, mais do que eu posso explicar. No caminho para o carro fomos em silencio e um pensamento não saía da minha cabeça.

A grande maioria da família da minha esposa é composta por sãopaulinos, inclusive o padrinho do Diogão é bambi, todos os seus primos, eles fazem a maior pressão psicológica para ele torcer para o São Paulo, trazem camisas, faixas de campeão e o escambau. Fui pensando em falar para ele que se ele quisesse torcer para o São Paulo como a mãe dele eu não ficaria triste(a maior mentira do mundo, isso me destruiria). Mas eu não estou agüentando ver meu filho chorar a cada derrota, a cada gol levado.

Chegamos em casa e fui por ele para dormir e falei para ele se ele quisesse torcer para o time da mãe dele eu não ligaria. Ele me abraçou e me disse: Pai eu sou PALMEIRENSE, eu não ligo de ser campeão, você me leva no jogo contra o Atlético-MG? Chorei pra caralho, eu sei que não fica bem para um coroa de mais de 40 anos ficar chorando por futebol, mas não agüentei.

Hoje de manhã o Diogão perguntou se podia ir com a camisa do VERDÃO, minha mulher que estava dormindo, ontem, quando a gente chegou, perguntou para mim; e aí ganhou? GANHEI, pois eu sei que ganhei um companheiro de estádio PALMEIRENSE de verdade.

Se vamos ser campeões ou não, pra mim não interessa, estarei lá contra o Atlético-MG, estarei por mim, estarei pelo meu filho e principalmente pelo amor que move o PALMEIRENSE, um amor que eu consegui transmitir pra ele. Um amor que não está vinculado a títulos, ele existe e pronto.

Desânimo





Desânimo! Essa é a palavra que retrata meu atual momento com a Sociedade Esportiva Palmeiras. Após o incrível jogo (no sentido negativo) de ontem e a falta de vergonha na cara de muitos jogadores desse time, esse sentimento impera nesse peito palestrino. É de doer o coração ver meu Palmeiras dar de mão beijada esse título tão esperado pela nação alvi-verde. Temos, senhores, um técnico BURRO, TEIMOSO e INCAPAZ de gerir o meu e o seu Palmeiras.

Não tenho saco de falar mais nada no dia de hoje, e caso apareça algum ânimo eu twittarei ou postarei no blog. Mas, como uma boa puta que o só o verdadeiro torcedor apaixonado é, estaremos na torcida, no apoio (por mais que muitos vagabundos não mereçam), na esperança diante do Grêmio, no Olímpico. Por quê? Porque, esse time está acima desses vendidos que ostentam o manto sagrado.

Acabo este post com as palavras de um ídolo, de um cara que está acima de qualquer defeito e que ama como um louco esse time, ao contrário desses montes de vagabundos que ousam sustentar essa gloriosa camisa.

"Os caras acham que vão chegar aqui ganhando 40, 50 mil por mês, a torcida só vai apoiar, vão pegar um monte de menininhas..."

"Se o cara tem capacidade para fazer um filho, tem para capacidade para suportar pressão. Ganha bem para isso, é profissional para isso."

"time para jogador de futebol hoje não falta. Se não Se não der certo no Palmeiras eu vou para o Corinthians. Se não der certo eu vou para o Sport. Se não der certo eu vou para o Náutico. Jogador de futebol pensa hoje assim."

Com unhas e dentes





O Globo Esporte disponibilizou mais de 5 minutos com parte da coletiva do presidente Belluzzo sobre o caso Simon. O presidente desceu do salto e esculhambou o vagabundo de preto, STJD e ainda quem o chamou de chorão.

Parabéns, professor por defender com unhas e dentes nosso time, nossa razão de viver.

A época da conversa acabou. É guerra declarada a essa raça e todas as partes que defende essa palhaçada.


O blog Carcamanos reforça o coro: EI, IMPRENSA VAI TOMAR NO CU!


Boa, presidente!





O presidente do Palmeiras quer transferir o jogo contra o Sport para sábado.

A partida foi antecipada para esta quarta-feira a fim de atender às necessidades de grade da TV Globo e Bandeirantes, que necessitam de um jogo às 21h50. “Isso é um desrespeito. Vou trombar com a Globo. Quero o jogo de volta ao final de semana”, disse esta manhã ao Blog do Boleiro.

Logo cedo, o dirigente tentou entrar em contato com os responsáveis da área de transmissões de jogos da Globo. Não conseguiu falar com ninguém.

O Palmeiras acha que a antecipação da partida diante do Sport impede o aproveitamento de dois de seus titulares que retornam de cirurgia (o volante Pierre) e contusão (o meia Cleiton Xavier). “O Cleiton deverá ter condições de jogo no final de semana”, prevê o médico Rubens Sampaio.

Belluzzo está com vontade de comprar briga. “Minha fase de bem educado está suspensa”, disse. Desde domingo à tarde, quando acompanhou a derrota do Palmeiras para o Fluminense pela televisão, o dirigente anda, como ele mesmo diz, “muito irritado”.

O principal alvo da ira do economista Belluzzo é o juiz gaúcho Carlos Eugênio Simon. A decisão do árbitro de marcar uma falta de Obina em Gum no lance em que o atacante alviverde cabeceou a bola para o gol, ainda no primeiro tempo, liberou os instintos mais primitivos do presidente.

No próprio domingo, numa entrevista para o jornal Lance, ele falou em “dar uns tapas” em Simon se o encontrasse. Nesta segunda-feira, ele conversou com vários jornalistas e aumentou a ferocidade do discurso.

Para Belluzzo, o árbitro gaúcho “é um operador oficial de interesses escusos” que “tem uma folha corrida” de erros. “Eu comentei com meus diretores, antes da partida, como é que deixaram esse sujeito ser escalado para o jogo. Ele está claramente comprometido com interesses”, disse ao Blog do Boleiro.

Enquanto falava ao telefone, o dirigente assistia na televisão a reprise do lance do gol de Obina, que não valeu. “Olha aí, não houve nada. Este cara estava mal intencionado”, acusou.

Segundo Luiz Gonzaga Belluzzo, Simon falhou também ao não marcar um pênalti em Danilo, no segundo tempo, quando o Fluminense já vencia por um a zero. “Foi uma falta tão ostensiva que não dá nem para comentar. Este camarada enxerga demais numa hora e, em outros lances, enxerga de menos”

Logo depois da partida no Maracanã, o gerente de futebol Toninho Cecílio foi à sala de imprensa e protestou fortemente contra a atuação de Simon. Depois, chegou a vez do presidente do clube que vem pegando pesado.

A idéia é evitar que o técnico Muricy Ramalho e os jogadores se envolvam neste protestos. “Não quero contaminar o elenco. Eu tenho que falar e eles têm que jogar, se preparar para a partida contra o Sport”.

O dirigente admite que o time não anda bem. Faz críticas ao futebol jogado pelo atacante Vágner Love. Acha que o treinador precisa “fazer uma avaliação ao que não foi bem”.

Sua avaliação do desempenho do Palmeiras contra o Fluminense não é das melhores: “O time Jogou mal? Estou de acordo. Mas o Fluminense também não jogou bem. Foi uma partida igual. Mas se o gol do Obina fosse validado, o jogo seria outro”.

“NÃO VOU COMPRAR JUÍZES”

O presidente leu os blogs não oficiais do Palmeiras. Viu que está sendo cobrado para ter uma atuação mais efetiva nos bastidores da CBF, entidade que organiza o Campeonato Brasileiro. Reagiu com indignação.

“Não faço isso. Não compro juiz para apitar a meu favor. Sei que tem gente que opera desse jeito. Eu não”, afirmou. Belluzzo sequer pretende enviar um protesto formal à CBF, reclamando de Simon ou vetando o nome do juiz nos jogos do Palmeiras.

Em alguns momentos da conversa, o dirigente mostra desânimo. “O futebol é podre. É frequentado por pessoas que não servem para viver minimamente no que se denomina civilização ocidental. Está coalhado de safados e malandros”, afirmou.

Belluzzo disse mais: “Não vou me meter a fazer coisas que não condizem com minha formação. O futebol é um jogo bonito. Não consigo achar legal ir para a arquibancada sabendo que existe este trabalho de bastidores”.

O que mais irrita Belluzzo é o estrago que o erro de Simon causou para o Palmeiras. “A gente vinha se mantendo na liderança, com muito esforço, e leva uma tungada dessas! Não é apenas um erro, mas um erro que tira a liderança do campeonato faltando quatro rodadas para o final”, falou.

Será difícil mudar a data do jogo entre Palmeiras e Sport. A TV Globo já ouviu reclamações dos são-paulinos, que não queriam enfrentar o Grêmio no meio da semana passada. Mesmo assim, o Palmeiras parte agora para uma resistência estóica. “Passei do meu limite de tolerância. Se precisar brigar com a Globo, vou brigar”, afirmou.

Palmeiras quer ser campeão?





A bola que o Palmeiras está jogando desde o jogo contra o Avaí é digna de rebaixamento. Isso mesmo meus amigos rebaixamento. Nos últimos 7 jogos tivemos 5 pontos em 21 disputados, perdemos para o Náutico, Fla, Flu, Santo André, empatamos com o Avaí e Gambás, e Vitória e bem do Goiás.

Com essa campanha o Palmeiras quer ganhar alguma coisa?

Não vou mexer uma vírgula sobre o jogo ridículo de ontem além de dizer que pra quem quer ser campeão, não criar uma única chance no segundo tempo inteiro (e no primeiro não foi diferente) é inadmissível, que o erro grotesco do Simon não esconde o que o Palmeiras não jogou. Não jogamos porra nenhuma. Não criamos nada. E isso não é culpa do Simon.

Falar algo de alguém hoje? Não, seria fácil demais! Nada de caça as bruxas, porém, não posso aceitar ver meu time se arrastar em campo e não criar porra nenhuma. Chega de chuveirinhos na área. Temos que direcionar as críticas. Apoiar, sim, sempre! Mas não encubramos as verdades/erros das críticas.

Quero um time de homens, um time de colhões que honrem a camisa que vestem. E quero o mesmo do técnico. Se ele não tiver que traga um que o faça! Pois, nesse momento temos um técnico de merda, um caipirão ultrapassado e retranqueiro, um bosta que se caga do primeiro ao último minuto de jogo, um alienadão que achava que seria campeão apoiado pela arbitragem, como no tempo em que regia o puteiro de Vila Sônia.

Meu caro Muricy, aqui o buraco é mais embaixo do que do outro lado do muro. Aqui é paixão na veia e não existe conformados. Portanto, se a Sociedade Esportiva Palmeiras não estiver rendendo o que você espera em campo, que mude as peças em campo, antes ou depois dos jogos. Mude! Não seja medroso e cusão! Aqui se ganha com audácia e não com arbitragem.

E como boa puta que o torcedor passional é, estaremos em campo na próxima quarta-feira, pagando o ingresso mais caro do Brasil, apoiando essa instituição que está acima muitas vezes dos nossos interesses particulares. Estaremos em campo, na arquibancada, sofrendo com cada minuto de jogo porque amamos esse time e sabemos muito bem que, mesmo que vários jogadores não sejam dignos de usar a camisa que muitos ídolos ostentaram, o Palmeiras é maior que todos vocês.

Críticas sim, apoio sim... medo nunca!

Parabéns ao Belluzzo que desceu do salto e usou alguns adjetivos, poucos é verdade, para enquadrar esse safado no jogo de ontem.

Você, torcedor seu lugar é na arquibancada. Você, jogador seu lugar é no campo ostentando essa camisa gloriosa. Caso contrário nem um nem outro é digno do time.

E de uma coisa eu tenho certeza, nesse momento quem está devendo não é a torcida!


Ps.: os três últimos textos não tiveram correção ortográfica, pois foram escritos em forma de desabafo!

Morte ao futebol. Viva ao Soccer!




Estão matando o futebol aos poucos. Estão matando pelos interesses das partes envolvidas. Estão matando quando não se reserva o direito de transmitir de volta ao torcedor tudo aquilo que ele investe quando vive o circo futebol.

Estão matando a imparcialidade do jornalismo esportivo (qual?), estão matando os erros humanos dos juízes (eu disse humanos), estão matando os estádios, estão matando a festa da torcida, estão matando o espetáculo em si.

O Brasileiro 2009 está morto por causa da arbitragem, por causa dos interesses Globais, por causa do STJD que vive querendo transformar, por interesse próprio, o futebol num jogo de filho da puta, num jogo de agazelados, que não podem relar um dedo no outro sem que seja punido.

O STJD está matando a malandragem do jogo e deixando a babaquice imperar. O pior é que ninguém dos clubes (por medo, troca de favores ou o caralho que for) e da imprensa (esta vendida) manifesta um dedo nessa causa.

É um absurdo a falta de punições pra juízes que erram a favor de São Paulo e Flamengo, porém, a recíproca nunca não é verdadeira. É um absurdo o que Simon fez ontem e continua fazendo desde que o ano começou. É um absurdo esse vagabundo, ladrão, filho da puta ser representante de qualquer coisa com o nome do Brasil nas costas.

O campeonato/futebol está morto meus amigos. O torcedor, este que tinha o direito de matá-lo, está dentro da peneira dos interesses financeiros que o futebol virou. Ao final da peneirada o que ficará são os clientes que vão ao jogo e voltam pra casa depois de consumir o produto futebol.

A la twitter





Alguns fatos:

Não jogamos pra ganhar nada. Não somos merecedores desse título! Repito: não jogamos pra merecer esse título.

Palmeiras não se impõe como um campeão. Isso é fato.Não tamos com perfil de quem quer ganhar nada.

Pra quem quer ser campeão, não criar uma única chance no segundo tempo inteira (e no primeiro não foi diferente) é inadmissível!

Isso que dói demais. Olha só pra quem estamos deixando o título. Meu Deus. Campeonato abaixo da qualidade

Foi um erro grotesco,mas não escondamos o que o Palmeiras não jogou hj. Não jogamos porra nenhuma.Não criamos nada.Isso não é culpa do Simon

Só quero vontade do meu time (isso até esta tendo, não de todos é verdade) e inteligência do meu técnico!

Quero um time de homens, um time de colhões que honrem a minha camisa. E quero o mesmo do técnico. Se ele não tiver que traga um que o faça!

Não aceito ver meu time se arrastar em campo e não criar porra nenhuma. Chega de chuveirinhos na área

Quem dera meu time tivesse: 11 Pierres, Marcos, Edmundos, Galeanos com gana de vencer. Com caráter pra saber o que essa camisa representa!

Até quarta me limitarei a lista de filmes, fazer minha monografia e futebol será limitado aos gols do Fantastico de hj e W11. Nada mais!

Eu trocaria jogador do elenco atual q acha q é craque. Por um Edmundo msm com idade alta.

Últimos 7 jogos do Palmeiras: 5 pontos em 21 disputados (Derrotas: Náutico, Fla, Flu, Santo André. Empates: Avaí e Gambás e Vitória: Goiás)

Como um time que quer ser campeão faz 5 pontos em 21?