Páginas

Balas Juquinhas, o retorno - II




Muito já se falou do último domingo, tanto no que tange o jogo do Palmeiras (e sua apatia) quanto ao título do time do Jardim Leonor. Portanto, sinto muito, mas não vou comentar mais nada. A raiva e a decepção ainda corre nas veias.

Vale a pena comentar a patética atitude das Balas Juquinhas sobre o "caso trouxas". Será que essa toupeira alada não sabe que há um hiato gigantesco entre comentar com "amigos" e escrever nas linhas da Internet!? Por mais que possa ter sido uma "brincadeira" (duvido e muito) essa desgraça da crônica esportiva não fez o mínimo que se pede nesses casos: um simples e formal pedido de desculpas. E o que é pior, um pedido de desculpa àqueles que nunca fez mal algum a ele, pelo menos de forma direta.

A instituição Palmeiras nada tem a ver com os desafetos que as balinhas Juquihas ou qualquer outro ator do patético teatro da mídia esportiva carregam consigo.


Fica nas costas dos inocentes provar sua ficha limpa perante àqueles que têm o poder da escrita (mesmo que de forma dúbia). Parabéns ao Palmeiras, apesar da demora e da exclusividade que só esse caso teve em relação a outros que deveriam ter sofrido igual ou maior repercussão, pela sua belíssima resposta.


Ao jornalista cabe informar e criticar. Não cabe atacar a honra de um dirigente ou de um clube de futebol simplesmente porque este clube mantém em seu departamento de futebol um técnico que lhe desagrada.

[...]

Se por um lado lamentamos a postura do jornalista, por outro, o fato reforça o que todos já sabem: trata-se de um senhor que costuma ofender a honra de pessoas honestas sem medir a consequência de seus atos. Mas que acaba caindo em descrédito também por outros motivos. B



Mais uma vez reintero que o papel de criticar com total isonomia da imprensa brasileira, de uma forma geral se perdeu no espaço-tempo da mediocridade brasileira. Somos "obrigados" a aturar atitudes clubistas, vergonhosas, interesseiras de muitos com uma ação de mudanças de poucos.


É uma pena, mas chupa a bala quem quer!

Esperando o sangue baixar!





Caros Carcamanos, depois de horas de sol na cabeça no domingão bambi, vou comentar sobre o sobre de domingo, o Madonnão 2008, e o futuro do Palmeiras no decorrer da semana. Sabe como é, né!

É melhor esperar esfriar esse sangue italiano/baiano para não comentar injustiças.

Mas não deixarei vocês sem conteúdo. Continuando a sessão "copia" e "cola" recomendo o magnífico post do Cruz de Savóia sobre as belíssimas palavras do gambá Citadini. Vale a pena conferir.



[...] Porém, vendo o que andam falando por aí, vi que seria quase obrigatório abordar o assunto. A imprensa, na quase totalidade, procura transformar o presidente da Federação, Marco Polo Del Nero, num vilão e diz que o São Paulo era inimigo dos dirigentes da Federação. Não é bem assim. Ou melhor, não é nada disso.

Se o São Paulo está atritado com Marco Polo, apenas porque o presidente da Federação não vê com bons olhos a escolha do Morumbi como estádio para abertura da Copa-2014, parabéns a Marco Polo!

Qualquer pessoa de juízo fica com frio na espinha só de imaginar o tamanho do vexame de uma Copa do Mundo realizada no estádio do Morumbi, impróprio e irreformável, mas, sinceramente, não creio que haja grande estremecimento entre o SPFC e o dirigente da Federação Paulista.

A imprensa carrega hoje, com todas as tintas, que o São Paulo era inimigo dos dirigentes da FPF, inclusive o tal vice que distribuía para árbitros, em nome do São Paulo, ingressos para ver Madonna. Assim a revelação do piedoso “regalo” para o show seria um ato de hostilidade da FPF contra o SPFC.

A história é outra. O São Paulo esteve rompido com a Federação Paulista até que, no final dos anos 1990, quando precisou de dinheiro para colocar amortecedores nas arquibancadas do Morumbi. Vêm daí a data em que o São Paulo deixou de ser “oposição” à Federação. O ex-presidente Farah pegou recursos do “Fundo de Reserva dos Clubes” e emprestou quase US$3 milhões de dólares para o São Paulo. [...]



É uma pena ficar só nessas palavras dele. Seria formidável se outras personalidades de futebol (de São Paulo, principalmente) viessem a publico para reforça-las!

É uma pena que tal coisa não ocorra.

Enquanto isso, a imprensinha continua a dizer: pobre São Paulo.

Antes tarde...





A CBF "recebeu" uma denúncia de suposta compra do juiz da peleja dos bambis, o tal de Tardelli (não o cachaça do ex-jogador do Jardim Leonor). Com isso, ele foi afastado do jogo e foi feito outro sorteio o qual o sr. JAILSON MACEDO FREITAS/BA (ASP-FIFA) foi o escolhido.

Segue abaixo a nota da CBF


06/12/2008 às 16:40
Comunicado da CBF sobre arbitragem de Goiás x São Paulo
Novo sorteio designa Jaílson Macedo Freitas para apitar o jogo - CBF NEWS


A CBF recebeu neste sábado pela manhã uma denúncia de que estava sendo planejada uma tentativa de manipulação do resultado da partida São Paulo x Goiás deste domingo, 7 de dezembro, no Estádio Bezerrão, decisiva do Campeonato Brasileiro de 2008.

Em conseqüência, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, determinou ao presidente da Comissão de Arbitragem, Sérgio Corrêa, que tomasse as providências cabíveis, entre elas a de realizar um novo sorteio para a partida em questão, mesmo reconhecendo a lisura e o caráter do árbitro Wagner Tardelli, que em 20 anos de atividade sempre demonstrou comportamento e conduta dos mais corretos.

Nesse sentido, o presidente da CBF reitera a sua mais absoluta confiança no trabalho do árbitro Wagner Tardelli, acrescentando para tanto que a determinação de um novo sorteio tem o objetivo de preservar o próprio árbitro e garantir ainda a transparência e o mérito do resultado em campo do jogo Goiás x São Paulo.

Tomada a primeira decisão, o presidente da CBF determinou ao Departamento Jurídico da entidade que, já na segunda-feira, providencie as medidas legais pertinentes, em todas as instâncias, para que sejam apurados os fatos e identificados os responsáveis por essa pretensa tentativa de manipulação da partida.

O presidente Ricardo Teixeira faz questão ainda de deixar claro que a CBF irá às últimas conseqüências para que os fatos sejam esclarecidos e apurados em sua totalidade.

O presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, disse que a determinação do presidente Ricardo Teixeira tem como objetivo garantir a credibilidade de um Campeonato Brasileiro marcado pelo sucesso e igualmente preservar a figura do árbitro.

Wagner Tardelli também achou correta a medida tomada pela CBF, feita com o propósito de garantir a respeitabilidade que conseguiu em 20 anos de arbitragem.

- Estou preparado e em condições de apitar o jogo. Mas em função desses acontecimentos, que tenho certeza de que o presidente Ricardo Teixeira vai apurar até o fim, a CBF fez bem em realizar um novo sorteio. Além do que sou o primeiro interessado em que tudo seja devidamente apurado..



COMISSÃO DE ARBITRAGEM - CBF

NOVO SORTEIO DE ARBITROS - SÉRIE A/2008

A Comissão de Arbitragem da CBF realizou neste sábnado, na sede da CBF, extraordinariamente um novo sorteio público para a partida Goiás x São Paulo a ser realizada neste domingo, 7 de dezembro, às 17 horas no Estáido Bezerrão. O sorteio foi acompanhado por diversos jornalistas.



TRIO 1

ÁRBITRO: DJALMA BELTRAMI/RJ (FIFA)
ASSISTENTE 1: MILTON OTAVIANO DOS SANTOS/RN (FIFA)
ASSISTENTE 2: ALESSANDRO ROCHA MATOS/BA (FIFA)
QUARTO ÁRBITRO: SANDRO MEIRA RICCI/DF
QUINTO ÁRBITRO: NILSON ALVES CARRIJO/DF
DELEGADO ESPECIAL: DR. MANOEL SERAPIÃO FILHO/BA


TRIO 2 (TRIO SORTEADO)

ÁRBITRO: JAILSON MACEDO FREITAS/BA (ASP-FIFA)
ASSISTENTE 1: ALESSANDRO ROCHA MATOS/BA (FIFA)
ASSISTENTE 2: MILTON OTAVIANO DOS SANTOS/RN (FIFA)
QUARTO ÁRBITRO: SANDRO MEIRA RICCI/DF
QUINTO ÁRBITRO: NILSON ALVES CARRIJO/DF
DELEGADO ESPECIAL: DR. MANOEL SERAPIÃO FILHO/BA



Rio de Janeiro, 6 de dezembro de 2008

SÉRGIO CORRÊA DA SILVA
CA-CBF



Leganda da foto no Orkut da esposa dele: Waguinho e sua 2ª. paixão. Adivinha quem é a 1ª.?



2ª paixão? Ou é apitar ou é um dos times da foto, que pode ser, por quê não, o Grêmio! Por que a merda da CBF põe um juiz do sul para apitar um jogo tão importante. Nada a favor dos bambis, mas se fosse com o Palmeiras eu ficaria puto!



É esperar pra ver!

Balas Juquinhas, o retorno!





Eu um excelente texto da mídia palmeirense, para ser mais específico no blog Estação Palestra, o Rodrigo Leme traz uma série de explanações muito bem elaboradas sobre as balas Juquinhas e sua Ética do bem.

Vale muito dar uma boa lida e salva para sempre esse post. Parabéns, Rodrigo. parabéns Mídia Palmeirense.



-------------------------------------------------------


[...]

O Juca não gosta do Palmeiras porque é corinthiano? Antes fosse. O Juca detona o Palmeiras onde pode e como pode porque não gosta do parceiro do Palmeiras (Traffic) nem do técnico do Palmeiras (Vanderlei Luxemburgo). Usa o Palmeiras de boi de piranha para descontar suas rixas pessoais.



A expressão que parece doce em sua boca atualmente é "conflito de interesses". Marquinhos, jogador da Traffic emprestado ao Vitória, jogará contra o Palmeiras (parceiro 1 da Traffic) no domingo. Em uma nota que só pode ser classificada de surreal, JK diz (e não estou brincando) "..se jogar e jogar bem e eliminar o Palmeiras, a ética estará salva."

No mundo de Juca Kfouri, uma vitória do Palmeiras ou uma atuação ruim de Marquinhos seria a prova cabal de favorecimento do jogador a seu futuro clube. Na esfera pessoal, a derrota do Palmeiras serve ao Juca, pois significaria uma possível eliminação da Libertadores e um belo porrete com o qual bater em seu outro inimigo, Vanderlei Luxemburgo. Para Juca, qualquer coisa que acontecer domingo é vantagem para ele.

Não duvido que tenha duas colunas prontas, esperando o apito final, para ver qual caminho seguir para criticar o Palmeiras. Mas - sim - haverá a crítica.

[...]

Pois bem, quantos jogadores de Juan Figger o São Paulo enfrentou neste brasileiro? Será que Juan Figger tem algum deles prometidos para o SPFC no ano que vem? Porque a indignação seletiva? Porque Figger não é "o inimigo". Ai dele se um dia for também, pois o Juca parece não ter tempo para investigar "conflitos de interesse" que não digam respeito aos seus desafetos.


[...]

Rebobina a fita para 2005: no dia 14 de abril, o São Paulo enfrentava o Quilmes pela Libertadores. Após uma disputa ríspida de bola entre Grafite e Desabato, os jogadores se estranham, trocam ofensas, e Grafite, ao sair de campo, diz ter sido xingado de "negro de merda" e outras pérolas racistas.


Independente do que realmente aconteceu (dizem que na delegacia Desabato admitiu a ofensa, ficou meio no ar - assim como as condições sob as quais confessou ou não ter feito o que fez), é interessante a cadeia de eventos dessa denúncia, bem descrita em matéria do Jornal da Tarde:

  • O secretário estadual da Segurança Pública, Saulo Abreu, e o Delegado Geral da Polícia Civil, Marco Antônio Desgualdo, ambos são-paulinos, estavam vendo o jogo pela Globo, e decidiram agir;
  • Convocaram o delegado Osvaldo Nico Gonçalves que - vejam vocês - estava nas tribunas do Morumbi vendo o jogo. Nico estava lá para coordenar ação contra os flanelinhas; ação que, como todos sabem, é melhor coordenada de um camarote no Morumbi.
  • O delegado Nico procedeu então com o primeiro flagrante sem flagrante da história da polícia, prendendo o jogador argentino no campo do Morumbi.

Não é interessante? Uma ação rápida da polícia iniciada por dois burocratas-torcedores e conduzida por um delegado que recebia agrados do time dono do estádio e da denúncia (para quem não conbhece, isso chama-se improbidade administrativa).

Segundo Juca Kfouri, isso é conflito de interesses? Quem o viu opinar na época (infelizmente, não tinha blog - era colunista do Lance!, que não tem arquivos de tudo) sabe que ele falou muito da "espetacularização da prisão", mas em nenhum momento citou o SPFC como ator principal. Nem conflito de interesses.



-----------------------------------------------------------------------


Quem quiser saber mais sobre a ética das balas Juquinhas basta dar uma olhada nesse vídeo do Milton Neves sobre a guloseima, no programa do Raul Gil.





Domingo rosa





Depois de um tempo sumida, aproveitei o relaxo dos meninos para postar sobre o jogo de ontem. O domingo Rosa, pra falar a verdade essa cor nunca me agradou, foi um verdaeiro porre até momentos antes de começar o jogo. Aguentar a imprensinha por o os bambis como campeõs foi um teste de paciência.

Pelo menos o fim de semana terminou com os modinhas levando um susto danado e vendo a possibilidade do time das Pipocas voltarem. Lembram? Nesse time tinha até o Kaká, que aliás, foi espirrado pela torcidinha.

Agora resta mais um jogo, e torço para que o Goiás tenha uma tarde semelhante a ontem, diante dos favelados do Rio.

Vai pra cima delas Baier. Quebra tudo Verdão Esmeraldino.



Palmeiras x Vitória

O Palmeiras demonstrou um excelente futebol no primeiro tempo de ontem, pena que cansou de perder gols e ser roubado pelos senhores. de preto. Cadê o afastamento dele agora? Aliás, cadê o afastamento da bandeira do jogo Atlético-MG e Santos, que me erra um impedimento medonho de tão fácil que proporciou um gol mal anulado do Galo!?

Dois pesos, duas medidas? Onde?

Volatando ao jogo do meu querido Verdão, o Palmeiras perdeu uns gol que só não farão mais falta, pois se depender de nós, ganharemos do Botafogo domingão e mandaremos o Flamengo/CBF/Globo para longe da Libertadores. No segundo tempo, o time caiu de produção e viu o bom Marquinhos deitar e rolar na defesa. Muito bom jogador, ele!

O 0x0 nos fez ficar a apenas uma vitória da fase de grupos da Libertadores, mas bom mesmo foi o 1x1 no Morumbi. Ah se elas perderem esse título. O gostinho será muito especial...


Pipoca? Alguém quer!?

Ctrl + C... Ctrl + V







Olha, não sou muito de sair por aí copiando as coisas que saem na midia palmeirense, no máximo que faço é uma citação das mesmas. Mas depois do jogo contra o Grêmio, Flamengo, a briga no aeroporto e a putaria do nosso comandante resolvi postar dois textos que retratam fielmente o que passa pela minha cabeça sobre esses assunto. Boa leitura e boa cornetagem...


Forza Palestra


Sobre derrotados e vencedores

Como em todo o restante do material que os senhores podem encontrar neste blog, falo por mim – e só por mim –, mas essencialmente sem o oportunismo barato que caracteriza aqueles que só sabem aparecer na hora de comemorar. Eis o que temos:

Mais do que tudo, preocupa entrar no Palestra já com o peso da derrota sob as costas – e eu deixei para subir a escada apenas ao término do Hino Nacional, pois queria sentir isso o menos possível.

Foi então que olhei para aquele grupo de jogadores com o desprezo que se dedica aos derrotados, pois é isso que eles são, a começar pelo treinador e feitas as três exceções de praxe, logo os dois que foram às redes e o santo que deixou um zero no placar.

É natural pensar assim, pois eles conseguiram sair dos sete pontos de vantagem após a heróica vitória no Mineirão para a atual desvantagem de sete pontos. Inacreditável? Bom, ficou mais fácil de entender ao assistir, ainda na minha casa, à vitória leonor em São Januário. Já fora assim no Canindé, in loco, duas semanas atrás, quando, a bem da verdade, senti a derrota, mais até do que no Palestra, no Maracanã ou na minha casa.

E o resultado de ontem foi claramente mais dramático, pois levou também ao rebaixamento do Vasco. Triste que tenha sido assim, mas parecia mesmo inevitável. E por mais que seja possível, é pouco inteligente argumentar contra algo chamado competência.

A competência, no entanto, ocorre dentro de campo - e não nas arquibancadas leonores - e tem como complementos toda a já conhecida sujeira dos dirigentes, o apito bambi, o apoio midiático e tudo aquilo que é dito neste e em outros blogs.

Se a competência não pode ser contestada, é necessário reforçar que a genética oportunista desta gentalha desponta mais uma vez. Vejam vocês que as meninas ficaram caladas o campeonato inteiro, em silêncio e sem dar muita importância para nada, para então aparecerem no final, enchendo a boca para festejar algo que não fizeram por merecer. Bastante típico.

É a geração vitrine. Gente baixa, sem escrúpulos, sem dignidade. Gente forjada em tempos perdidos, de valores morais deturpados e em que o caráter de uma pessoa conta pouco. Gente que desconhece a própria história e vive do esforço alheio, pois só o que se valoriza é a conquista a todo custo. Gente sem alma. Sub-raça mesmo.

Ontem, no Palestra Itália, havia um grupo de derrotados dentro de campo, mais alguns à beira dele e outros tantos nos camarotes. Mas havia também vencedores, poucos no gramado e milhares do lado de fora, na arquibancada, no Visa, nas numeradas. E mesmo quem não pôde ir, mas fez parte da campanha, acreditando desde o início, mesmo contra o boicote interno.

Acredite, palestrino: eu, você e todos os que fomos ontem ao Palestra somos muito mais vencedores do que 80% dos oportunistas que devem ir ao estádio do Jd. Leonor no próximo domingo - e mais do que esse imbecil que trabalha com você e resolve agora falar besteira depois de passar o campeonato todo ausente.

Mais vale defender um ideal e manter a dignidade na derrota do que fazer número em uma massa alienada, que comemora algo sem lutar.

Palmeiras 2x0 XV de Jaú


[...] foi com gols de Kleber e Pierre que o
Verdão venceu o Ipatinga por 2x0, voltou a ocupar um lugar no G4 e a postular uma vaga à Libertadores, que é apenas o plano B. Foi um jogo absolutamente sem graça. Admito que mal vibrei nos gols. Ganhar do Ipatinga não é nada mais do que a absoluta obrigação. Só haveria alguma chance de empolgação se o time desse show, como aquele de 96, sob o comando de um certo Luxemburgo, que pegava um time fraquinho pla frente e era de 6 pra cima.

Mas a falta de vibração é evidente. A rapaziada ainda não absorveu bem o baque da perda do título, e a frustração é indisfarçável. Pra completar, o time voltou a entrar mal escalado. Luxa insistiu em escalar três zagueiros, e entre Elder Granja e Fabinho Capixaba, entre Nhô Ruim e Nhô Pior, optou por aquele que pelo menos vai à frente com mais freqüência, por ter alguma velocidade. Mas Nhô Pior, quer dizer, Perivaldo, ou melhor, Fabinho Capixaba não tinha acertado um único cruzamento no campeonato. Hoje, acertou o primeiro, e foi justo o que o voleio de Kleber falhou - seria um golaço.

E Pierre, coitado, mais uma vez ficou naquela função que claramente vai mal, porque dá o primeiro combate só por um lado do campo e ainda tem que sair jogando, coisa que não é seu forte. E era disparado o pior em campo, quando achou uma bola espirrada e guardou um golzinho, pra salvar sua noite, Ainda bem, Pierre não merece sair como o pior do time porque entra mal escalado.

De resto, mais uma atuação muito legal de ver do Kleber. Dá gosto de ver esse cara jogar. O problema é que o palmeirense não quer saber de ter como maior ídolo um cara raçudo, embora essa qualidade tenha que ser valorizada no futebol de hoje. É que a camisa do Palmeiras é mais que raça. Se tivéssemos 11 Klebers no time, seria melhor do que é hoje, poderia até ganhar o campeonato, mas não é a cara do Palmeiras. Precisamos de um maestro. Senão, vai ser esse time com cara de década de 80.

Diego Souza era a grande aposta para este segundo semestre. Hoje, ficou no banco e não entrou. Com a saída de Valdivia, era de se esperar que o grande líder do time fosse Diego, que jogou sacrificado enquanto o chileno estava no time, e depis de sua saída finalmente conseguiu o espaço que precisava para brilhar. Mas não brilhou, em parte por seu próprio mau desempenho técnico, em parte pela incapacidade do técnico em fazer o grupo funcionar em função dele - técnico que avalizou a saída do chileno, afirmando que não faria falta exatamente pelo esperado crescimento de Diego.

Luxemburgo fez três modificações hoje. Com a necessidade da saída de Roque Junior, ele colocou o Jeci, mantendo o esquema meia-boca. Podia ter colocado o Denilson, ou o Diego Souza, pra fazer um monte de gols - ou pelo menos tentar. Bem depois, faltando menos de 15 minutos, é que colocou o Denilson no Evandro, quando o Ipatinga já tinha um a menos. E a cereja no bolo foi Leo Lima no Kleber a menos de 2 minutos pro fim. Leo Lima quase fez um gol contra num escanteio. Só um detalhe: Leo Lima e Denilson têm contrato por produtividade, mas deve ser só coincidência.

Depois do jogo, a entrevista de Vanderlei Luxemburgo, foi elucidativa. Após vencer o Ipatinga, ele se sentiu bastante à vontade para criticar o episódio do aeroporto, e colocou toda a culpa do resultado negativo no Rio nesse acontecido. Falou, fez biquinho, disse que está triste, e o discurso foi claramente preparatório para pular fora do barco. Quanto a isso, duas observações: 1) Se não ganhasse do Ipatinga hoje, ele sequer tocaria no assunto do aeroporto, e 2) Antes do jogo contra o Flamengo, à beira do campo, ele não demonstrava essa "tristeza" toda. Nosso treinador está puxando o carro e está usando todos os seus álibis.

E querem saber? Se é para bancar o manager, não serve. O clube é que não vai arcar com a multa rescisória. Mas através da Diretoria de Futebol pode, e deve, exigir que ele cumpra sua função de treinador, e apenas treinador. E se ele não aceitar, que peça as contas e volte para o Santos, ou pra onde quiser. Queremos o Luxemburgo focado, dando treino, estudando adversário; queremos aquele técnico
que ganha jogo, a comissão técnica mais cara do país dando resultado.

Hoje Luxa estava sentadinho, quietinho, assumidamente desmotivado. Os reservas, encostados na placa de publicidade, só de vez em quando davam um piquezinho. Nem o Melo parece que tá com vontade de trabalhar. E o time caindo de produção fisicamente no segundo tempo a olhos vistos, todo jogo. Se é assim, peçam as contas. Com o dinheiro que se paga por mês pra essa turma, dá pra trazer DOIS meias de primeiro escalão, pra ganhar a Libertadores, e sem recorrer à Traffic.

Ou então, meu caro Luxemburgo, volte a ser o velho Luxemburgo. Em seu discurso, você evocou sua história no clube, sua trajetória bonita e vencedora, mas nesse passado você não se metia a manager. Este ano você ficou devendo, meu chapa. E se mantiver essa postura em 2009, vai falhar de novo, e daí vai arrumar outro episódio qualquer como álibi para seu fracasso. Assim não queremos.


Luxa, volte a ser técnico, e você ainda será muito feliz no Palmeiras. Ou então, vaza.

Vergonha!







Não quero e não preciso colocar em textos o que toda a nação palmeirense está sentindo com toda essa palhaçada, que se desenrolou desde domingo passada.



Aviso aos acomodados:


O Palmeiras não precisa de vocês.
Por favor, vão embora!







Vergonha!

Entrevista do Marcão ao site Terra - 11/11





Comecem a ler a entrevista de baixo para cima


------------------------------------------


18h19 - Obrigado por acompanhar mais uma transmissão ao vivo do Terra.

18h18 - Ao vivo - Acaba neste momento a entrevista do goleiro Marcos. Ele pediu desculpas ao elenco e ao técnico Vanderlei Luxemburgo sobre o ocorrido. Porém, garantiu que ainda não conversou com o comandante.

18h16 - Ao vivo - "Claro que depois que levamos o gol contra o Grêmio, não existe mais tática. Vira coração. Mas pode ter existido uma falta de comunicação, sim", afirma o goleiro, lembrando que não foi avisado pelo time que ainda restavam 15 minutos para o fim do jogo.

18h13 - Ao vivo - "Eu sei cabecear. E não precisa ser tão bom. É só ter tamanho. Qualquer desviada você complica o goleiro. E eu fui com essa intenção", explicou.

18h10 - Ao vivo - "Eu estaria de cabeça erguida aqui. E não teria chegado de cabeça baixa, como cheguei", diz Marcos, prevendo qual seria sua reação ao chegar ao clube hoje caso tivesse feito o gol de empate contra o Grêmio.

18h09 - Ao vivo - "Primeiro gostaria de pedir desculpas ao Rogério Ceni por citar tanto o nome dele. Mas é que quando falamos em goleiro com o pé, tem que citar ele. Mas quanto ao fato de melhorar com o pé, precisa ver o que seria se aperfeiçoar. O Cech é o melhor do mundo e dá chutão. O Buffon eu nunca vi driblando ninguém. Não sou ruim com o pé. Sou normal. Claro que comparando com o Ceni eu sou ruim", defende-se o goleiro Marcos.

18h05 - Ao vivo - "Acho que jogam uma responsabilidade muito grande em cima dos árbitros. Mas acredito neles. Não acho que fariam nada para prejudicar os outros e ajudar os gaúchos. Se eles errarem, não será por má fé. Isso jamais", opina Marcos, lembrando da escalação de árbitros gaúchos para os jogos do Palmeiras.

18h02 - Ao vivo - "Eu jamais faria alguma coisa contra o Vanderlei. Principalmente depois do que ele fez por mim esse ano (colocou o goleiro para jogar após longo periodo afastado por lesão). Não existe isso de grupo do Marcos e grupo do Vanderlei. Mas eu sei que vão falar", afirmou Marcos, negando qualquer tipo de problema com o treinador do Palmeiras.

18h01 - Ao vivo - "Se vão acreditar em mim ou não, eu não sei. Mas essa é a minha explicação. E tenho certeza que vou dormir melhor sendo sincero aqui e falando tudo isso. Minha atitude foi horrível, mas minha intenção não. E outra. Eu sei que eu sou ruim. É rídiculo pensar que o time precisa do goleiro para fazer o gol. Mas eu não pensei nisso. Queria só ajudar. Fazer alguma coisa diferente", explica o camisa 12 do time alviverde.

17h56 - Ao vivo - "Perder o pai é uma coisa que não tem explicação. Fiquei meio sem chão uns dois dias. Mas dentro do jogo não senti nada. tanto que o Vanerlei perguntou e eu falei que estava bem. Só esse erro no fim (de ir ao campo de ataque tentar o gol). Tem coisas que eu faço e depois olho e falo: 'como pode, gente'. Tenho que me policiar dia-a-dia", afirma Marcos, primeiro a respeito do seu estado após a morte de seu pai e depois sobre o jogo de domingo.

17h54 - Ao vivo - "Eu acredito e confio na confiança que o Vanderlei tem em mim. O errado domingo fui eu. Não acho que a torcida tenha que ficar contra o treinador", diz o goleiro, antes de interromper a entrevista e pedir um copo de água.

17h53 - Ao vivo - "Aqui no Palmeiras é difícil. Mesmo se a gente tivesse perdido do Grêmio de uma maneira diferente, a cobrança seria a mesma. A cobrança em mim é diferente da que tem sobre o resto do elenco. Mas é o que eu falei. O Vanderlei tem todo o direito de tomar a decisão que achar melhor em virtude da minha atitude em campo", voltou a destacar o goleiro.

17h50 - Ao vivo - "Enquanto temos chances matemáticas, temos que lutar para sermos campeões. Claro que é difícil o São Paulo deixar escapar, mas pode acontecer. Mas não temos que pensar nisso. E sim em ganhar os quatro jogos restantes", afirma Marcos, negando que o Palmeiras briga apenas pela vaga na Copa Libertadres.

17h48 - Ao vivo - "Eu não vi o Vanderlei pedindo nada. E ninguém chegou para mim e disse: 'calma, faltam 15 minutos'. Eu fiz tudo aquilo por achar que o jogo estava no final. Cheguei no vestiário pensando que eu estava certo. Quando cheguei no carro e minha mulher disse que eu fui a primeira vez ao ataque aos 29min que eu vi o erro", comentou o goleiro, camisa 12 do time do Palestra Itália.

17h46 - Ao vivo - "Acho que o time não jogou mal. Deu azar de levar aquele gol achado. Talvez eu tenha feito mais defesas que o Victor, mas em virtude da maneira que jogamos, oferecendo o contra-ataque ao Grêmio. Jogamos bem domingo. Perdemos por uma fatalidade. Levamos o gol em um erro coletivo nosso", comenta Marcos sobre a partida diante do Grêmio.

17h45 - Ao vivo - "O Vanderlei tem todo o direito de me punir. Por isso estou aqui explicando que não tive intenção nenhuma de passar por cima do comando do Vanderlei. Ele sempre foi meu amigo. Me cobra. Exige de mim. E sempre foi meu amigo. Tenho certeza que ele acredita na minha palavra. Não sei o que vai acontecer. Se ele vai me punir dentro de campo. mas sei que fora ele continua meu amigo. Estou sendo sincero. Não tive intenção nenhuma de colocar a torcida contra os jogadores e o treinador", reitera Marcos sobre a atitude tomada no domingo.

17h43 - Ao vivo - "Sempre que eu saio na rua eu vejo o respeito que os outros torcedores tem comigo. Então para fora ajudou mais, e dentro menos", afirma Marcos sobre o seu jeito sincero.

17h41 - Ao vivo - "A torcida tem que apoiar o Luxemburgo, sim. Claro. Ele é o treinador da equipe", explica Marcos.

17h40 - Ao vivo - "Um psiquiatra tavez entenderia o que eu fiz (subir ao ataque para tentar o gol de empate contra o Grêmio). Mas você viu que eu melhorei. Caso contrário eu teria dado entrevista e complicado tudo. Mas eu sai de campo quieto. E já aviso que até o fim do ano eu não dou mais entrevistas após o jogo", afirma Marcos, lembrando que sempre causa polêmica ao falar com a imprensa de "cabeça quente".

17h38 - Ao vivo - Goleiro Marcos fala sobre o jogo diante do Grêmio e também sobre a polêmica criada ao torno de suas subidas ao ataque.

17h37 - Ao vivo - Elenco do Palmeiras se reapresenta após a derrota para o Grêmio, que deixa o time mais longe do título do Campeonato Brasileiro.

Leilão do gladiador!




Leilão de camisa autografada do Gladiador


Seja companheiro de ataque do jogador Kléber. Neste leilão o que vale é sua boa ação. A camisa do Gladiador será leiloada em cestas básicas. As cestas serão entregues para uma instituição de caridade. Para participar é muito simples: envie seu lance para o email promocao@klebergladiador.com.br e acompanhe aqui no site quem está na liderança do leilão pela camisa. Mais do que uma demonstração de carinho pelo jogador, esta promoção é uma grande chance de ajudar a quem precisa. O vencedor ganhará a camisa autografada (ilustrada na foto) pelo Gladiador e também poderá ajudar o Kléber na entrega das cestas.


Valor como base: Cesta básica popular CBA R$ 49,00


Para saber mais, acesse.


http://www.klebergladiador.com.br/index.shtml




Mais um da série: não tou a fim de escrever, logo... eu copio!



----------------------------

Luxemburgo x Marcos - Possível diálogo pós domingo



Luxa: Marcos, me explica que po#%* foi aquela de domingo?

Marcos: Não tem explicação professor!

Luxa: como assim porra?

Marcos: Por que não tem!

Luxa: Você está me irritando Cacete! Toda vez você sai como santo, sempre quando erra, a torcida grita seu nome, e eu saio como vilão?

Marcos: Não fiz nada premeditado professor. Fiz porque jogo com o coração, fiz o que qualquer um naquele estadio faria, fiz o que nenhum jogador fez o jogo todo. Ngm teve a coragem de bater no peito e assumir a responsabilidade. Você não sabe o que é ser palmeirense. Você não sabe o que é permanecer em um time por mais de 15 anos. Você não sabe o que amor a camisa. Aqui é Palmeiras, e será sempre. Um time de sangue gueirreiro nas veias.
Professor, sei que tenho que seguir ordens suas, e peço desculpas por não ter lhe respeitado naquele momento. Na hora não escutei nada. Na hora não via nada. Só uma vontade imensa de ter a esperança de ser campeão novamente. Dar a esperança a todos que encheram os olhos de lagrimas quando o gremio abriu o placar. Só queria mostrar pros meus companheiros que o que faltava ali era VONTADE.

Luxa: Marcos, aquilo que vc fez, queimou todos os seus companheiros novos, colocou todos em saia justa.

Marcos: Cada um se queimou sozinho. apartir do momento que não correu, não lutou, se acomodou, e se entregou. Garanto que Pierre, Gustavo, Kleber e Alex Mineiro não se incomodaram nem um pouco com aquela atitude.

Luxa: Por favor Marcos, vai treinar que domingo temos que ganhar de qualquer forma.

Marcos: Sim senhor professor! Sim senhor!

Sobre o jogo? Apenas isso de positivo...






Retirado de um blog Corinthiano


------------------------------


São Marcos


Em 1999 e 2000, por duas vezes, o goleiro do Palmeiras deixou todos os corinthianos nervosos, tristes, decepcionados, putos.

Seu nome ainda era Marcos. Só Marcos.

Virou São Marcos.

E hoje, 8 anos depois, o mesmo goleiro deixou este corinthiano com lágrimas nos olhos.

Pelo que fez a partir dos 30 minutos do segundo tempo do jogo em que seu time ia sendo derrotado pelo Grêmio por 1 x 0 dentro de casa, jogo que valia a vida no campeonato, a luta pelo título.

Ao correr pra área adversária, primeiro numa falta, depois num escanteio, depois com a bola rolando, São Marcos não desrespeitou apenas as ordens de Luxemburgo.

Muito mais do que isso.

Ele foi contra o disciplinamento excessivo.

Contra o controle sem sentido.

Contra o jogar sem emoções.

São Marcos derrubou a barreira entre jogador e torcedor. Fez o que todos os 28 mil na arquibancada queriam ter feito.

Escutou seu coração, lembrou o ditado, o colocou na ponta das chuteiras, e disse: “isso é a minha vida, eu decido o que fazer com ela”.

Como disse um amigo, lembrou Garrincha.

E Pelé.

E Maradona.

Foi, simplesmente, genial.

A derrota de ontem deveria ser para o palmeirense talvez uma das mais orgulhosas dos últimos tempos.

Porque, pra além do que ela significou em termos de campeonato, está seu significado pro imaginário, pra memória, pro coração do alviverde.

Que ficou sabendo, mais do que nunca, que ali, embaixo das suas traves, no comando da defesa que ninguém passa, está também uma parte da torcida.

Que canta e vibra.

Pelo alviverde inteiro.

Que sabe - e como sabe - ser brasileiro.

Marcos, sei que provavelmente você nunca vai ler isto.

Mesmo assim, precisava agradecê-lo por me dar a certeza de que você, com esse caráter incrível, não defendeu aquele pênalti em 2000.

Foi o Marcelinho que o perdeu.

Abraços.

De um fã corinthiano que, mesmo assim, não pode deixar de aplaudir um gênio do futebol.

Passeio na Argentina








Olha, não sabia que o Palmeiras além de time de Futebol e de outras atividades esportivas também era agente de viagens. O papelão que o time do comentarista global Luxemburgo fez, foi de doer o Pâncreas. Não que esse campeonato valha alguma coisa. Mas nunca quis que meu time entrasse para brincar. Meu amores, em campeonato de par ou ímpar não aceito empate, imaginem então perder para um time argentino.

De valioso que podemos tirar disso é que o nosso time ainda não tem o plantel para disputar duas competições. Por quê? Bem, pergunte ao tio Luxa! Têm jogadores que não podem nunca mais passar perto do Palestra Itália, imagine então vestir a sagrada camisa. E que goleiro é o bruno, hein! Se confirma o que muitos diziam sobre ele. Tem um talento muito grande. É a nossa fantástica fábrica de goleiros em intensa produção.


Agora são águas passadas e só nos resta pensar no jogo contra o Grêmio e na secagem geral contra os bambis.



STJD

Que papelão, hein! Não quero nem dizer mais nada do que já foi dito afora pela Mídia Palmeirense. Pois, minha insatisfação é tamanha quando se comparado aquele salto que quebra numa festa da empresa e todos te olham com aquela cara. É um misto de raiva e vergonha!
O que fizeram com Diego Souza foi vergonhoso. Mas vamos ser campeões contra tudo e contra todos.


Força

David, não vou entrar no mérito do que houve com você. Apenas lhe desejo muita força nesse momento difícil e espero que as coisas se resolvam o mais rápido possível. Força garoto! Não deixe se abalar, sei como você se sente, mas como eu disse em nossa conversa, saiba que pode contar sempre comigo, mesmo eu estando muito longe. Estou te mando muitas vibrações positivas.
E sobre aquela idéia idiota de acabar com o Blog, você quer mandar todos nós embora!? hehe Olha que eu não cumpro o aviso prévio!
Te desejo melhoras. De coração!

Quase infarto





Depois de passar mal com a magnífica corrida de F1 antes do jogo do Palmeiras - ainda que digam que podem ter sido comprada, coisa que não duvido e não acredito ao mesmo tempo - fui prestigiar nosso Palestra em mais um jogo decisivo no famigerado Brasileirão 2008.

Meu amigo se continuar assim, vou ter que renovar meus estoques de calmantes que estavam escassos desde a época Felipônica. Jesus Maria José! Que jogo dramático. mas que poderia ter sido desenhado diferente se o Palmeiras acertasse a marcação depois do gol do Kléber e o bandeirinha e o juiz tivessem tido peito para anular o gol (não que tenha sido mão, mas que ficou um ar de mistério sobre o que o juiz pensou na hora, ah isso ficou). Onde já se viu o bandeira não correr pro meio de campo e o juiz voltar não voltar atrás em suas decisões. Conheço um lugar. Qualquer um contra o Palmeiras, já que do outro lado do muro... enfim!

Ainda sobre o jogo prefiro acreditar que o time do Santos vendeu caro a derrota do que o Palmeiras tenha jogado tão mal. Mas, se vocês quiserem ficar na última, gostaria que o tio Luxa ou alguém me responda o porquê!

Gostaria de saber se o STJD vai pedir a fita do jogo para indiciar o senhor Fábio Costa pelo chute PROPOSITAL que ele deu nas costas do Léo Lima na hora do gol. Gostaria de saber também, se o juiz do jogo São Paulo x Vitória não vai ser afastado igual ao do jogo Vitória x Fluminense?

Agora é pensar na sul-americana na quarta-feira, com o Kléber gladiador em campo, pensando em quebrar uns dentes argentinos. Desta vez o buraco é mais embaixo, hermanos.



Grêmio

Juro por a+b=c que depois do 3º gol dos "impronunciáveis" contra os bambis do sul fiquei na torcida forte pelos outros bambis do sul contra o Figueirense. Por quê? Porque não queria aguentar a semana ouvindo que essa raça rosa virou líder, que são isso ou aquilo, além disso, teríamos um jogo no domingo contra os bambis azuis do sul e passaríamos eles de qualquer forma. Mas nem pra isso o time do Celso Hot presta. Pelo amor de Deus que time sem objetividade, padrão de jogo, sem jogada de perigo. E se não fosse a incompetência do Figueira, era pra ter sido uns 4x1 pro time de Floripa.


Agora é secar mais do que nunca o mal nos jogos que vêm pela frente, a começar pela Lusinha. Espero que se concretize o que um amigo me disse hoje: última rodada o Botafogo não aspira mais nada e vai entrar com o time reserva contra nós, por repúdio contra o Jardim Leonor pelo roubo na semana passada, e elas vão pra Goiás pegar o Paulo "matador de bambi" Baier. Já pensou na idéia!?

Excelente vitória, bambis, bambis II, Beluzzo e Gambás







Vitória suada

O time não jogou bem, foi muito marcado ou foi embolado no meio de campo pelo Goiás, mas os 3 pontos da partida deixaram e muito o time vivo na briga pelo título, só espero que pensem da mesma forma domingo conrta o Fish.


Bambis

Parem o campeonato e se quiserem dêem logo o titulo ao time do Jardim Leonor. O que foi aquilo? Aliás, sugiro também que o Botafogo faça uma sessão de descarrego, junto com a Lusa e ao Palmeiras num pai de santo de primeiríssima qualidade. Tem coisas que só acontece com esses três times, principalmente no que tange a arbitragem.

O pessoal já está percebendo:

Do blog Forza Palestra do meu amigo Ademir:


Coluna do Renato Maurício Prado - O Globo (31/10/2008)

"Já circula pela internet uma relação de 12 jogos em que o São Paulo foi beneficiado por erros da arbitragem. Continuo a não crer em complô mas começo a ser forçado a reconhecer que o clube paulista conta, no mínimo, com um 'respeito especial' por parte dos juízes. Por que será?" (...) "Aliás, gostaria de entender o motivo pelo qual Hernandes, do São Paulo, pode comemorar seus gols levantando a camisa e exibindo mensagem sem levar cartão amarelo, como recomenda a Fifa?"


Um dia vão desmascarar essa gente. Serão rebaixados - como aconteceu na Itália - por espírito anti-desportivo, por se utilizarem de expedientes outros que não a prática do jogo dentro das regras. Podem escrever.



Bambis II

Que linda a tão famosa cena da novelinha da Rede Bobo. Foi uma das poucas vezes que vibrei por algo desse lixo de emissora.

Sinopse: O motivo é que num certo momento, o ator Cauã Reymond dá um presente para a atriz Deborah Secco que está grávida. A mesma fica radiante ao abrir a caixa e ver uma roupinha do Corinthians para recém nascido e ambos na trama demonstram ser bem corinthianos.
Eis que o personagem Orlandinho, um homossexual assumido, se mostra nervoso com a situação e fala que a criança quando crescer tem o direito de escolher, mas ele prefere que o menino seja são-paulino.


Cena





Gambás

E para encerrar com chave de ouro trago esta sensacional frase da semana:


"Comemorar a ascensão do Corinthians para a primeira divisão é como fazer churrasco quando um primo é solto da cadeia. A gente compra a carne, a Cerveja, comemora, mas... dá uma vergonha de dizer o motivo da festa" - Antonio Roque Citadini





Nada a declarar também sobre sábado, mas invés de ligar a metralhadora giratória, vou fazer meu papel e demonstrar meu apoio ao time com as belíssimas palavras do Blog Opinião Verde, do palmeirense Mário:

___________________________________________


10 motivos pelos quais o Palmeiras será campeão



Depois do baque que levamos no último jogo, tanto pelo resultado quanto pela falta de futebol, nossos erros e fraquezas ficaram expostos a todos.

É normal o tom apocalíptico adotado pela imprensinha. O duro é ver palmeirenses entregando os pontos a esta altura do campeonato e do ano. Poucos se deram conta, no entanto, de que jogamos sem 4 jogadores importantes, 2 dos quais considero fazerem parte da nossa espinha dorsal.

Abaixo, listo 10 motivos que explicam ao palmeirense desanimado porque seremos campeões do Brasileirão 2008.



Motivo 1: O Gaymiover

Dos 5 primeiros colocados, o Grêmio é o time mais fraco tecnicamente. Tem jogadores ditos refugos, como Paulo Sérgio, Tcheco e Souza, sendo os dois últimos as "esperanças de criatividade" do time gaúcho.

Além disso, seu técnico é nada mais, nada menos, do que o senhor Celso Roth, que quando passou por aqui ganhou o carinhoso apelido de Burroth, por suas escolhas no mínimo questionáveis e seu estilo covarde na hora de decidir.

Apesar de ter 4 pontos a mais que nós momentaneamente, é o único dos concorrentes que tem 4 jogos fora de casa (sendo 2 em rodadas seguidas), das 7 partidas que faltam.

Para finalizar, eles ainda terão que nos fazer uma visitinha no Palestra Itália.



Motivo 2: O S.P.F.W.

A imprensinha insiste no discurso de que o "São Paulo é um time de chegada". E muita gente compra a idéia, sem nem pensar ou questionar sobre.

Nos últimos anos, o São Paulo colecionou uma série de pipocadas justamente na hora de decidir, mas parece que a memória de muita gente é curta. Para refrescar a memória dos esquecidos, segue uma breve lista de derrotas bambis na "hora da chegada".

* Eliminado da Libertadores pelo Fluminense (2008)
* Eliminado do Paulista pelo Palmeiras (2008)
* Eliminado da Libertadores pelo Grêmio (2007)
* Eliminado do Paulista pelo poderoso São Caetano (2007)
* Eliminado da Libertadores pelo Inter (2006)
* Eliminado da Libertadores pelo poderoso Once Caldas (2004)

A prova mais recente de que essa força bambi, entoada pela mídia diariamente como um mantra não passa de história da carochinha, é que na hora de DECIDIR, quando teve uma vitória garantida contra nós (vantagem de 2 x 0 até os 30" do segundo tempo), abriu as pernas, não agüentou nossa força e cedeu o empate.

Além do mais, o time atual do São Paulo é o mais fraco tecnicamente dos últimos anos, e é inferior tecnicamente a Palmeiras, Cruzeiro e Flamengo.

Falam tanto dos nossos resultados "decepcionantes", mas os bambis somam vários destes resultados, aliás muito parecidos com alguns dos nossos mais criticados. Perderam de 3 para o Fluminense no Rio, empataram em casa com Ipatinga e Coritiba, não conseguiu ganhar do Figueirense em Florianópolis, perdeu para o Náutico fora, e por aí vai.

Para os mais supersticiosos, mais um alento. Historicamente, o Palmeiras sempre foi campeão evitando que o SPFW fosse tricampeão de algum campeonato.



Motivo 3: O Cruzeiro

Pessoalmente, considero o Cruzeiro como o time mais próximo tecnicamente ao Palmeiras.

Poderia ser o nosso concorrente mais perigoso, se tivesse demonstrado ao longo do campeonato, em momentos-chave, que está com sede desse título.

Mas as derrotas que teve nos confrontos diretos em casa (inclusive contra o nosso time desfigurado) deixam o Cruzeiro com aspecto frágil, de quem não tem bala na agulha pra decidir na reta final.



Motivo 4: O Flamenguinho Pocotó

O Menguinho Pocotó em muito me lembra o Palmeiras de 2007. E, não à toa, tem o mesmo técnico que tínhamos no ano passado.

O estagiário Caio Millhouse Potter Júnior ainda está cru. Seu discurso nada ambicioso, sempre colocando a Libertadores como possibilidade de recompensa, acaba enfiando na cabeça de seus jogadores de que a Libertadores é a meta, e o título seria o bônus. Com essa mentalidade, time nenhum chegará ao título esse ano.

Além disso, o Flamengo refugou feio em vários momentos ao longo do campeonato (série de derrotas que os fez perder a liderança e a derrota acachapante em casa contra o Atlético-MG).

O Flamengo é 8 ou 80. E como o Caio Jr se contenta com 40, isso deixa os mulambos mais próximos do 8 do que do 80. Um tropeço contra o Cruzeiro (jogo que será em Minas Gerais) ou contra nós (jogo no Rio), e é capaz do Morro do Boréu inteiro descer pra soltar umas bombas e sitiar a Gávea.



Motivo 5: O Palmeiras 2008

Palmeirenses desesperados, ou contaminados pelos discursos manjados da imprensinha ("São Paulo é time de chegada", "fantasma do Palestra", "tabu de títulos", etc.), e a própria imprensa em vários momentos decretaram o fracasso do Palmeiras ao longo de 2008.

O nosso mundo acabou várias vezes esse ano. No Paulista, repetidamente, especialmente nas derrota de 3 x 0 para o Guaratinguetá e para os bambis, no 1º jogo da semifinal. No Brasileiro, as derrotas apocalípticas foram contra o Sport, em casa, e contra o Fluminense no Rio, ambas por 3 x 0.

A frase mais dita por derrotistas: "Time que quer ser campeão, não pode...". Time que quer ser campeão não pode perder para o Guaratinguetá por 3 x 0. Time que quer ser campeão não pode perder para o Sport em casa por 3 x 0. E assim vai, só mudando a variável do resultado.

O fato é que fomos campeões do Paulista, mesmo com os 3 x 0 para o Guaratinguetá. Aliás, digo mais: foi a partir das dúvidas e questionamentos que se plantaram a respeito da capacidade do elenco que os jogadores mostraram sua força.

As nossas maiores derrotas e decepções com o Palmeiras em 2008 foram justamente nos momentos em que nosso time estava sentado no altar da auto-confiança, beirando o salto-alto.

E o Palmeiras 2008, quando questionado, pressionado, duvidado, respondeu à altura das nossas tradições.



Motivo 6: O Palmeiras na História

Quantas vezes, ao longo da nossa gloriosa História, não vimos o Palmeiras ser surpreendido em casa por times pequenos? Inter de Limeira, Ceará, Asa de Arapiraca, Ipatinga, etc.

E quantas páginas de glórias, desta mesma História, não escrevemos em batalhas memoráveis derrubando outros times grandes?

Já é mais do que acaso, superstição ou tradição. É um perfil. O Palmeiras responde quando cutucado. Mostra seu tamanho quando o embate é parelho, quando pega algum time de porte parecido com o seu.

E dos jogos que nos restam, o único time que pode ser classificado como pequeno é o Ipatinga.



Motivo 7: Os pontos necessários para o título

O Campeonato Brasileiro atual é o mais disputado da era dos pontos corridos. Em nenhuma outra edição, houve 5 equipes disputando diretamente o título até esta altura do campeonato.

Isto tem um reflexo direto nos números. Por ser tão equilibrado, o aproveitamento do 1º colocado é mais baixo do que foi nos anos anteriores: 63%. Projetando este aproveitamento para o final do campeonato, chegamos ao número mágico de 72 pontos para sermos Campeões Brasileiros.

Para chegar lá, precisamos de 17 pontos em 7 jogos. Nenhuma façanha de 7 vitórias em 7 jogos é necessária. Precisamos de 5 vitórias e 2 empates, ou de 6 vitórias (com 1 derrota como margem de cagada).

Convenhamos, nada impossível para o time que almejar ser o Campeão Brasileiro de 2008.



Motivo 8: Confrontos diretos

Este tem muito a ver com o 6º motivo citado anteriormente. Dos 7 jogos restantes, temos 2 confrontos diretos, sendo um jogo em casa e outro fora.

Temos em nossas mãos a chance do título. Está a nosso alcance a taça, e só depende de nós irmos buscá-la.

O mais positivo aqui é que, outra vez, não precisamos de façanhas. Precisamos simplesmente demonstrar se merecemos o título ou não.

Vencer o Grêmio em casa, justamente nas condições que o Palmeiras sabe se impor, num confronto de gigantes decidindo um título, pode ser difícil mas é um resultado absolutamente palpável e natural. Empatar com o Flamengo fora de casa (considerando que temos margem para 2 empates e 5 vitórias), da mesma maneira.



Motivo 9: Nosso diferencial tem nome

Temos um diferencial que fica no banco de reservas. Não, não é o Jorge Preá, nem o Denílson.

Podem falar o que quiser, mas mesmo os desafetos do Luxemburgo não questionam a sua capacidade profissional.

Ele tem uma trajetória vitoriosa no futebol, que se demonstrou especialmente mais estável e confiável nos campeonatos disputados por pontos corridos.

Mesmo assim, já escreveu no Palmeiras capítulos de títulos e vitórias em campeonatos disputados com fases em mata-mata. Quem não se lembra das finalíssimas contra nossos fregueses fiéis, no Paulista e no Rio-SP de 1993, além do Brasileiro de 1994? Ou mesmo do título Brasileiro de 1993 (também decidido com jogos mata-mata)? Ou mais recentemente, do Paulista de 2008?

É difícil dizer a especialidade do Luxemburgo. Prefiro reconhecer sua competência em saber levar um time ao título e ser campeão.



Motivo 10: Jogos que marcam uma campanha

Ao contrário de outros times, o Palmeiras não tem costume de ser campeão com títulos que caem no seu colo. Talvez, exatamente por isso, temos uma História tão gloriosa.

E não há como fugir do óbvio aqui: especialmente neste Brasileiro, será campeão o time que merecer o título. (Exceto no caso esdrúxulo de algum erro de arbitragem ou pilantragem que decida o campeonato.)

Está tudo tão equilibrado que, quem vacilar na hora do "vamo vê", não terá merecido ser campeão.

Temos toda a certeza que nossos 4 concorrentes não nos darão o título de bandeja. Que se o quisermos, teremos que ir buscar. Portanto, se quisermos ser Campeões Brasileiros de 2008, teremos que escrever mais uma página de glória para ser lida e relida no futuro.

Quando tomamos porrada no Paulista, nos momentos de decisão, tivemos uma trajetória especial, com jogos marcantes. Negativamente, o jogo que marcou a mudança foi a já citada derrota para o Guaratinguetá. E pelo lado positivo, a nossa grande vitória foi contra os bambis na segunda partida semifinal.

Neste Brasileiro, tivemos a explêndida recuperação de um 2 x 0 para 2 x 2, novamente contra o SPFW; tivemos também a vitória apertada (e merecida) contra o Cruzeiro em MG, com nosso time desfigurado. Mas mesmo assim, não creio que estes serão os jogos que ficarão para a História.

Se quisermos ser campeões, o jogo contra o Fluminense deve ser o ponto de partida para o sprint rumo ao título. Deve ser o que foi o jogo contra o Guaratinguetá no Paulista.

Se quisermos ser campeões, temos 7 páginas em branco para escrever jogos memoráveis. Contra Grêmio e Flamengo, podem ser épicos. Podem ser os jogos que nos farão merecedores do título.

Receita para esquecer o sábado





Vou evitar soltar os cachorras para cima de uns e outros, portanto, aqui vai minha colaboração para levantar o ânimo dos jogadores:

___________________________________________________


Bolo Preto de Cachaça


Ingredientes:


1 1/2 xícara de açucar
2 colherinhas de café de canela em pó
6 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de chá de bicarbonato
1 1/2 xícara de cachaça de ótima qualidade (importante)
2 xícaras de chá de calda queimada
1 1/2 xícara de chá de Banha vegetal derretida
Leite : o quanto baste.
Uva passa hidratada e passada na farinha de trigo e frutas cristalizadas (opcional mas eu acho fundamental)


Modo de fazer:



1. Misturar todos os ingredientes secos numa bacia, e misturar a cachaça aos poucos.

2. Juntar a calda queimada e a banha derretida e mexer devagar ( impossível mexer depressa, fica pesadíssimo!)

3. Depois de misturar o melhor que conseguir , vá juntando leite até conseguir uma consistência pastosa. Juntar as uva passa e as frutas cristalizadas, despejar na forma e assar em forno médio para quente até que cresça e fique dourado escuro. Faça o teste do palito antes de retirar.



Salpique com açucar de confeiteiro e sirva!

Responsabilidade






Esse texto eu tinha feito a um tempão atrás, ainda quando mantia outro blog , o dito particular. Ele retrata um desabafo sobre a palavra Responsabilidade e seus significados.
Passo por uma dificuldade pessoal a quase um mês. Por inteira responsabilidade minha. Mas vou além do campo pessoal e vou estender para a esfera do futebol.


Responsabilidade

Temos a consciência de que somos parte ínfima de uma engrenagem maior que dita as regras do como, onde, por quê?, quanto, quando... Nem sempre a dimensão disso se faz presente em nossas andanças, ou por falta de uma instrução emitida outrora, ou pela ignorância que se faz presente nos tempos atuais. Responsabilidade: substantivo feminino no calor das desventuras modernas, palavra ausente em nosso dicionário político, polissílaba que nos regra na navalha do certo e errado. Limite das desgraças e prazeres auferido pela luta. Até onde pesa? Me pego a pensar que nada disso existe, que nada disso se faz vivo e intenso, que é parte do desencadeamento de nossas vidas. Mas é errado, é profano, é mentiroso é preocupante, ao mesmo tempo quando se tem em tão poucas mãos tanto poder, medos, e esperanças.

Machuco os olhos de tanto esfregar esperando que tais esforços não sejam em vãos, mas e se forem?


A quem devo recorrer? A quem se recorre quando despejamos a responsabilidade em alguém em quem não corresponde?


Palmeiras quer assumir quais responsabilidades?

Ainda muito puto







Esperando passar a raiva para postar do jogo de ontem.

Se é que vai haver post...

STJD ou SPFC






Não sou muito de postar inteiramente um texto de alguém desde que não mereça uma grande menção. Mas, prefiro lê-lo, tirar o que realmente importa e deixar um link.

Porém, desse vez o excelente texto da Cris Lacerda me fez rever isso. Ele foi postado na comunidade do Palmeiras no Orkut e merece uma grande divulgação para todos que por algum motivo não acessa a comunidade (isso existe?).

Enfim, deixando de lenga lenga segue abaixo o belíssimo trabalho de pesquisa da Cris. Ela retirou os dados do site da Justiça Desportiva onde estão as ações envolvendo atletas de cada um desses times ao longo do Brasileirão.




PALMEIRAS x GRÊMIO: De Maio a Setembro no STJD


O STJD vem "sacaneando o campeonato" desde maio, conforme o Palmeiras vem bradando desde o início, ao longo de seus 11 indiciamentos de atletas até a atualização de setembro, enquanto via velhos rivais sequer serem levados ao STJD por diversas ações semelhantes, muitas vezes na mesma rodada.

O Grêmio só havia sofrido 3 indiciamentos de maio a setembro, com uma absolvição entre eles... veio ter suas primeiras dores de cabeça e revoltas contra o tribunal agora, no mês de outubro, 5 meses após o início do campeonato.

O julgamento da última semana foi mais um dos desmandos do STJD, com punições altamente severas e desproporcionais ao grêmio - e não podemos deixar de mencionar, de maneira tão gritante ao Botafogo. Mas daí a dizer que o beneficiado é o Palmeiras, conforme quase todo gremista automaticamente acusa agora, são outros quinhentos... sobretudo contra o time que desde o campeonato paulista vem batendo na tecla contra a justiça desportiva, e foi alvo do STJD desde o primeiro mês de Brasileirão.

Enquanto o Grêmio volta os olhos pro Palmeiras, "times realmente beneficiados" correm por fora dos casos, sem chamar a atenção como queriam... e muitos outros casos inexplicáveis continuam sem ser cobrados: justamente "agora", voltam à abertura do caso do gás contra o Palmeiras, como se a punição que sofreu sem ter a culpa, conforme o laudo do instituto de criminalística que apontou que veio de dentro, fosse pouco. Tem jogadores que voltaram a ser julgados por episódios em que já passaram pelo tribunal e foram absolvidos (afinal, como punir sem chamar a atenção para os outros dois atletas de velhos rivais que na mesma semana cometeram ato semelhante e sequer foram levados ao triunal?). Tem outro jogador indiciado por ato em que a própria suposta "vítima" declarou não haver a intenção e que servirá de testemunha de defesa se for preciso.

E o grêmio, que passou o campeonato inteiro sem o sofrer o rigor do STJD, "agora" é simplesmente fatiado em juízo pelo tribunal. Enquanto o benefiado apenas ri de tudo isso.

Até a última atualização, do início do campeonato até o final de setembro, esse é o resumo das ações envolvendo o Palmeiras e o Grêmio no STJD, onde o Grêmio acusa o Palmeiras por ser o "grande beneficiado" do Supremo Tribunal no ano de 2008.

O Palmeiras sofre com as ações e perseguições do STJD desde maio. Já o Grêmio, havia passado quase ileso aos olhos do Tribunal durante o mesmo período. Agora, o Grêmio sofreu, sim, um grande prejuízo do STJD - severo demais até aos olhos palmeirenses, mas jamais poderia acusar o Palmeiras de "benefício", como veremos a seguir.

Para citar um exemplo de disparidades entre "olhos brandos ao Grêmio" e "olhos caçadores ao Palmeiras" até chegar o mês de outubro, basta fazer o comparativo entre os seus jogadores mais violentos - Kléber e Leo - que possuem até agora a mesma quantidade de cartões vermelhos, sendo Leo detentor da condição de "jogador com maior número de faltas" em grande parte do campeonato.

Kléber foi "arroz de festa" no Tribunal e ao contrário do que alegam os gremistas, sim, Kléber já foi punido pelo STJD. Ao total, entre as suspensões disciplinares, Kléber já ficou quase 1/4 do atual campeonato de fora dos gramados. Sim, foi absolvido em alguns dos episódios por falta de provas de vídeo, mas até em absolvição recebida por essa condição, foi julgado novamente e recebeu a punição.

Já Leo, com a mesma quantidade de cartões vermelhos e inúmeras faltas, muitas delas duras e que haviam sido julgadas em episódios semelhantes com outros times, havia sido indiciado pelo Tribunal apenas duas vezes, ao longo de todos os 5 meses de Campeonato Brasileiro. Foi absolvido em ambas. Repito: Foi ao banco dos réus em apenas dois episódios e foi absolvido em todos eles.

Seguem todas as ações durante o Campeonato Brasileiro, envolvendo os atletas de ambos, de maio a setembro:


PALMEIRAS

1- Jogo: Coritiba FC (PR) X SE Palmeiras (SP)
RESULTADO: Suspender por 03 partidas Diego de Souza Andrade, Art. 255.

2- Jogo: S.E. Palmeiras (SP) x C.A. Paranaense (PR)
RESULTADO: Suspender por 01 partida Kleber Giacomace de Souza Freitas, Art. 250.

3- Jogo: Goiás E.C. (GO) x S.E. Palmeiras (SP)
RESULTADO: Suspender por 02 partidas Denílson de Oliveira, Art. 251.

4- Jogo: Goiás E.C. (GO) x S.E. Palmeiras (SP)
RESULTADO: Absolver Kleber Giacomace de Souza Freitas, Art. 253.

5- Jogo: Goiás E.C. (GO) x S.E. Palmeiras (SP)
RECURSO VOLUNTÁRIO: Suspender por 01 partida Kleber Giacomace de Souza Freitas, Art. 253.

6- Jogo: SE Palmeiras (SP) X Coritiba FC (PR)
RESULTADO: Absolver Antônio Fábio Francêz Cavalcanti, Art. 250.

7- Jogo: SC do Recife (PE) X SE Palmeiras (SP)
RESULTADO: Absolver Denílson de Oliveira, Art. 254.

8- Jogo: SE Palmeiras (SP) X CN Capibaribe (PE)
RESULTADO: Absolver Kleber Giacomace de Souza Freitas, Art. 251.

9- Jogo: SE Palmeiras (SP) X CR Flamengo (RJ)
RESULTADO: Suspender por 02 partidas Leonardo Lima da Silva, Art. 254.

10- Jogo: SE Palmeiras (SP) X CR Flamengo (RJ)
RESULTADO: Suspender por 02 partidas Leonardo Lima da Silva, Art. 252.

11- Jogo: SE Palmeiras (SP) X CR Flamengo (RJ)
RECURSO: Manter suspensões de Leonardo Lima da Silva por 02 partidas, Art. 254, e 02 partidas, Art. 252.

12- Jogo: Cruzeiro EC (MG) x SE Palmeiras (SP)
RESULTADO: Absolver Diego de Souza Andrade, Art. 255.

13- Jogo: Cruzeiro EC (MG) x SE Palmeiras (SP)
RESULTADO: Suspender por 01 partida Lenny Fernandes Coelho, Art. 250.

14- Jogo: Cruzeiro EC (MG) x SE Palmeiras (SP)
RECURSO VOLUNTÁRIO: Novos julgamentos para Diego de Souza Andrade, Art. 255, e
Lenny Fernandes Coelho, Art. 250, a ocorrer.



GRÊMIO

1- Jogo: Goiás EC (GO) X Grêmio FBPA (RS)
RESULTADO: Absolver o atleta Leonardo Renan Simões de Lacerda, Art. 250.

2- Jogo: Grêmio FBPA (RS) X SC Internacional (RS)
RESULTADO: Suspender por 03 partidas o atleta Roger Galera Flores, Art. 258.

3- Jogo: Grêmio FBPA (RS) X São Paulo FC (SP)
RESULTADO: Absolver o atleta Leonardo Renan Simões de Lacerda, Art. 253.

4- Jogo: Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (RS) x C.R. Vasco da Gama (RJ)
RESULTADO: Suspender por 02 partidas o atleta André Luis Leite, Art. 254.


----------------------------------------------------------------


RESUMO


PALMEIRAS
Episódio no banco dos réus: 14
Punições: 7
Absolvições: 4
Recursos: 3 (2 do Palmeiras, perdidos; 1 do STJD, ganho)
Jogos com suspensões: 12



GRÊMIO
Episódio no banco dos réus: 4
Punições: 2
Absolvições: 2
Recursos: -
Jogos com suspensões: 5



Lembramos que no mês de outubro, o Palmeiras já tem agendado mais 3 julgamentos: Kléber, Diego Souza e Lenny, sendo o de Diego Souza o Recurso Voluntário para revogar a absolvição que recebeu.

Lembramos ainda que ontem, pela primeira vez com um clube no Campeonato Brasileiro, o Grêmio teve deferido o Efeito Suspensivo ao qual deu entrada, e entrará em campo com seus jogadores suspensos até o julgamento do recurso - benefício jamais dado pelo STJD em favor de outro clube, em todas as 29 rodadas da competição.

O Grêmio agora alega que "poderá perder o Campeonato Brasileiro" porque 2 de seus titulares ficarão sem jogar até quase o término da competição, com as punições severas do STJD (já que as demais punições de 2 e 3 jogos não diferem das recebidas normalmente pelos demais clubes ao longo do campeonato). Lembramos ao Grêmio que um time que tem brio não depende de 2 titulares para ser campeão: o Palmeiras, entre junho e julho, passou quase um mês sem jogar com metade do time titular, onde teve partidas que chegou a entrar em campo com 7 reservas, devido às perdas que sofreu ora por lesões, ora pela CBF, ora pelo STJD. E nem por isso deixamos de correr atrás e chegamos à liderança do Campeonato Brasileiro.

Mas a grande questão é a que fica: "Palmeiras beneficiado pelo STJD"?.

É melhor construírem outro discurso, pois esse não se aplica ao time que mais esteve no Tribunal no ano de 2008. Enquanto isso, o "real beneficiado paulista" apenas assiste a tudo de camarote, eternamente intocável em seu trono.

E quanto à "grita" gremista contra o STJD: Bem-vindos ao clube. Clube no qual o Palmeiras é sócio desde a primeira rodada do Brasileirão.

Neste primeiro momento, fiz uma análise dos episódios no banco dos réus envolvendo Palmeiras e Grêmio, do início do Campeonato Brasileiro até o fechamento de setembro. Elevando a pesquisa para os 5 candidatos ao título, veremos que a defesa palmeirense de que não somos beneficiados - e de que na verdade somos perseguidos pelo STJD - vai ainda mais longe.

Segue o breve resumo desses episódios no Brasileirão 2008, junto com resultados favoráveis (absolvições e ganhos em recurso) e desfavoráveis (punições e perdas em recurso):


Palmeiras: 14 vezes
9 resultados desfavoráveis ao clube
4 resultados favoráveis ao clube
1 resultado favorável a ser revisto pelo tribunal


Grêmio: 4 vezes
2 resultados favoráveis ao clube
2 resultados desfavoráveis ao clube


São Paulo: 4 vezes
3 resultados desfavoráveis ao clube
1 resultados favorável ao clube


Flamengo: 4 vezes
2 resultados favoráveis ao clube
2 resultados desfavoráveis ao clube


Cruzeiro: 3 vezes
3 resultados favoráveis ao clube



Palmeiras foi o clube que mais foi indiciado pelo STJD (o triplo ou o quádruplo de vezes dos seus concorrentes) dentre todo o campeonato e o que mais sofreu punições do Tribunal. Se isso é ser "beneficiado pelo STJD", gostaria de saber o que seria um "Palmeiras prejudicado".

E o incrível é que agora que o São Paulo entrou no G4 na reta final, Grêmio e Palmeiras se encontram caçados pelo STJD no mês de outubro - o Grêmio com o absurdo que vimos nessa semana e o Palmeiras nos 3 julgamentos que estão por vir.

Mas apesar de tudo, os gremistas preferem continuar bradando que "Palmeiras é o maior beneficiado do STJD", ao contrário do que dizem os números absurdos do comparativo. Enquanto isso "o real beneficado" assiste a tudo, mais uma vez, de camarote, vendo gremistas e palmeirenses se comendo vivos, e o STJD caçando covardemente ambos.



Talvez quando o Grêmio perceber isso, será tarde demais e "Inês estará morta".



Compreendemos que o repudio gremista e o discurso de "favorecimento e compra" em benefício do Palmeiras surgiu com a absolvição de Diego Souza - jogando na lata do lixo toda a perseguição que o Palmeiras sofreu, sendo caçado pelo STJD em detrimento aos seus concorrentes.

Esta absolvição surpreendeu até os próprios palmeirenses, com estarrecimento geral à "mudança de comportamento do STJD perante o clube", numa inexplicável absolvição quando foi notório que o Diego Souza deveria ser punido até o último fio de cabelo.

Mas basta analisar um pouco mais a fundo o polêmico episódio desta absolvição, com tudo em torno dele em relação a benefícios e prejuízos - e sobretudo, a quem. Se é para criar "teorias da conspiração" como faz o Grêmio, o Palmeiras está com munição cheia:

Na mesma semana em que Diego Souza cometeu o ato, o São Paulo teve jogador em igual ação de violência e ato antidesportivo - Dagoberto, idêntica a de Chicão do Corinthians e cujo este último jogador recebeu 120 dias de punição no Tribunal.


O são-paulino nada sofreu. Sequer foi indiciado e levado ao Tribunal.


Mas Diego Souza, sim. Então como punir o palmeirense sem chamar atenção ao fato semelhante, na mesma semana? Absolve-se, então, e esconde-se o favorecimento ao outro beneficiado.

Mas isso gerou a imagem de "benefício ao Palmeiras". Então qual o próximo passo para o STJD se mostrar "imparcial"? Punir o Grêmio - e de maneira dura e jamais vista, como acompanhamos. Mas pela intensidade da punição do Grêmio, surge novamente a imagem da parcialidade.

Ora, mas Palmeiras será julgado logo a seguir, na próxima semana em 3 episódios. Um deles, para voltar à absolvição de Diego Souza - dessa vez, com o critério da mão de ferro aplicada ao Grêmio e já bastante longe, em semanas, da ação de Dagoberto.

Com isso, o STJD passa a ser o "imparcial" - com o martelo que bateu no Chico gremista batendo no Francisco palmeirense. Bate-se nos dois primeiros colocados do Brasileirão e deixa-se o São Paulo quietinho no seu canto, como está.

Maio, junho, julho, agosto, setembro:

Mesmo contando a "polêmica absolvição" de Diego Souza, o Palmeiras se vê 14 vezes sentando no banco dos réus e sofrendo 9 resultados desfavoráveis, enquanto vê todos os seus 4 concorrentes - juntos - sentando 15 vezes e sofrendo 7 resultados desfavoráveis.

Repito: "Palmeiras" 14 vezes, 9 reveses. "Todos juntos" 15 vezes, 7 reveses.

Outubro ainda não teve seu fechamento, e lembramos que ainda teremos 3 julgamentos palmeirenses e 3 recursos gremistas... Aí sim, ao final dos resultados de tudo isso, eles serão somados.

Os argumentos não foram para entrar no mérito da questão recente do Grêmio, se foi duro ou não (o que é já notório que as punições foram extremamente absurdas e nem mesmo os palmeirenses concordam com tamanha degola), nem quem foi "mais" ou "menos" prejudicado. Foram para defender o Palmeiras das amplas e infundadas acusações gremistas de que "o Palmeiras é o grande beneficiado do STJD e comprou o campeonato".

Não, não somos... Os números do Palmeiras no STJD e seus reveses estão aí, e a soma de todos os seus concorrentes diretos também - para todo mundo ver, gremistas ou não. E falar isso justamente do time cuja balança, somando todos, sequer dá igual, é não admitir que chegamos onde chegamos com as nossas próprias pernas - e nesses 5 meses, nós sim, "contra tudo e contra todos".

Mas nem por isso, nesse meio tempo até aqui, choramos aos quatro ventos midiáticos: não somos "vítimas", somos guerreiros. E no campo, não temos medo.






Precisa de mais alguma coisa?